CURTA NOSSA PÁGINA !!!

Faça parte de nossas redes sociais e nosso canal no youtube.

Ministração salmo 34:4

Busquei ao Senhor, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores. Sl 34:4
  Colocar a nossa fé em ação requer de nós um olhar focado no céu, muito além das nossas circunstâncias ou dificuldades, afinal, Deus não trabalha limitado por coisa alguma, mas pautado em sua soberania e majestade.
 
Esdras experimentou isso, ao conduzir a segunda expedição dos cativos de Israel na volta a Jerusalém, precisou colocar a fé em ação e confiar no cuidado de Deus. Posso imaginar o escriba, com a grande responsabilidade de viver sua própria pregação, e influenciar a outros, conduzindo-os a buscar ao Senhor afim de encontrar segurança e auxílio. Então se expressa:
 

Então, apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para nos humilharmos perante o nosso Deus, para lhe pedirmos jornada feliz para nós, para nossos filhos e para tudo que era nosso.Porque tive vergonha de pedir ao rei exército e cavaleiros para nos defenderem do inimigo no caminho, porquanto já lhe havíamos dito: A boa mão do nosso Deus é sobre todos os que o buscam, para o bem deles; mas a sua força e sua ira, contra todos os que o abandonam.             Esdras 8.21 e 22
 

Minha Oração em vindo o temor:
No dia em que eu temer, hei de confiar em ti. Salmos 56.3

Missionária Luciana Moraes

Igreja alimenta milhares em meio à crise na Venezuela

Por causa do regime comunista bolivariano implantado na Venezuela, a fome tem sido uma constante no país. Imagens recorrentes mostram a falta de alimentos nos supermercados e até pessoas comendo do lixo.

Em meio a crise política e econômica que arrastou a nação para o caos, uma igreja evangélica decidiu enfrentar o problema oferecendo sopa para mais de 1.500 pessoas. O esforço evangelístico e humanitário do Centro Evangelístico Vida Nova, da cidade de Valencia, estado de Carabobo, atraiu atenção da imprensa do mundo todo.

Usando o lema “Jesus Cristo dá a vida eterna”, o ministério liderado pelo pastor Ernesto Ojeda acredita que oferecer comida aos famintos é um mandamento bíblico. “No meio dessa crise que estamos vivendo na Venezuela, a igreja de Jesus Cristo se levantará e será reconhecida por alimentar os necessitados”.

Chamado de “Sopaço Ágape”, a divulgação do evento nas redes sociais dizia “Uma sopa que alimenta junto à Palavra de Deus que sustenta”.

Além de comer, as pessoas que estiveram no local ouviram a palavra de Deus, assistiram uma peça de teatro e as crianças tiveram atividades adequadas para sua faixa etária. Há testemunho de muitas famílias que foram alcançadas após ouvir sobre a grandeza do amor de Jesus por suas vidas, traduzido pela ação do Corpo de Cristo na terra.

Segundo o pastor, mais de mil pessoas aceitaram a Jesus no final do evento, no que foi classificado por ele de “avivamento”. Com informações de Biblia Todo

Eles esperaram 10 anos para ter um exemplar da Bíblia

Apesar de ser o livro mais produzido na China – na média de um por segundo – quase 100% dessa produção é exportada. Apesar do crescimento da igreja, ainda é difícil para o cristão chinês ter sua própria cópia das Escrituras.

Cerca de 70% dos cristãos da China vivem em áreas rurais, em aldeias que não possuem por exemplo, acesso à internet. De acordo com as Sociedades Bíblicas Unidas (SBU), fazer com que cada um deles possua uma Bíblia é um grande desafio, que requer uma luta constante contra o regime comunista, que proíbe a livre manifestação religiosa no país.

Kua Wee Seng, responsável pelo trabalho da SBU na China, divulgou recentemente um vídeo mostrando a distribuição de Bíblias na província de Henan, na região central do país. Segundo a tradição, foi naquele lugar, ao longo do Vale do Rio Amarelo que o povo chinês se originou.
Por isso é tão importante eles terem conseguido levar cópias das Escrituras até lá. Seng afirmou que encontrou pessoas ali que esperaram pelos últimos 10 anos para ter suas próprias Bíblias. Uma delas se converteu há 14 anos e pela primeira vez pôde levar um exemplar para casa.

“Você consegue imaginar como alguém se torna cristão e precisa esperar mais de uma década para ter a sua própria cópia da palavra de Deus? O único acesso à Escritura que eles tinham era uma vez por semana (nos cultos)…  Esta é a situação que uma multidão de cristãos chineses ainda se encontra”, afirmou ele no material divulgado. Com informações de Church Leaders

Divórcio está corroendo a religião, indica estudo

Um novo estudo do Public Religion Research Institute indica que crianças criadas por pais divorciados são mais propensas a não ter religião que as criadas por pais casados. A pesquisa foi realizada nos Estados Unidos entre 27 de julho e 09 de agosto.

Constatou-se que 35% dos entrevistados que vinham de famílias onde os pais eram separados diziam não pertencer a nenhuma religião.

O estudo também descobriu que 29% dos adultos que vinham de famílias religiosas abandonaram sua fé por causa dos ensinamentos negativos da sua religião sobre gays e lésbicas.

Ao mesmo tempo, 19% saiu por causa de escândalos de abuso sexual de líderes. Uns 60% simplesmente “não acreditam no que a religião ensina”.

Segundo o pesquisador Daniel Cox, “Uma boa parte da narrativa em torno do crescimento dos ‘sem religião’ mostra como estão mudando as preferências culturais e como as pessoas estão optando em afastar-se da religião”.

Cox também observa que existe uma ligação entre a estrutura familiar e a identidade religiosa.

“Não existe somente uma razão pela qual os sem religião estão crescendo de forma tão dramática, mas este levantamento revela novas evidências de como a estrutura de vida familiar é uma parte dessa história”, enfatiza.

“Pessoas que viveram em lares de pais divorciados ou os pais eram de religiões diferentes são menos prováveis a serem religiosas quando adultas que aquelas que vieram de famílias onde os pais eram da mesma religião e praticantes”, resume Cox. Com informações de Washington Post

Mobilização “Oferta de Resgate” quer ampliar trabalhos missionários

No dia 9 de outubro a Igreja Missão Cristã Mundial (MCM) fará uma grande mobilização para despertar o cristão brasileiro a contribuir com a evangelização.

A “Oferta de Resgate” é um evento anual realizado pela MCM e os recursos levantados já serviram para a perfuração de poços na Tribo Turkanas, no Quênia; para comprar equipamentos hospitalares na Somália; para construir escolas no Nepal, em Guiné-Bissau e em Moçambique; além de servir para abrir casas para acolher viúvas e crianças em situação de risco.

São vários os projetos sustentados através dessa mobilização da MCM, podemos citar também o envio de recursos para a construção de 47 casas no Nepal em 2015, casas que serviram para dezenas de famílias que perderam tudo o que possuíam por conta do terremoto que abalou aquele país.

Mas há muito ainda para ser feito, por isso os projetos da MCM precisam da ajuda dos cristãos brasileiros.

Nos projetos da igreja estão: a produção de um longa-metragem que contará a história de crianças resgatadas por meio do Programa Meninas dos Olhos de Deus; construção de uma torre de Oração 24 horas em Portugal; compra de mais equipamentos hospitalares para Somália; implantação de igrejas no deserto do Quênia e apoio a creches e escolas nas favelas da África.


Igrejas interessadas em participarem desse projeto podem entrar em contato com a MCM www.mcmpovos.com e realizarem eventos com o objetivo de levantar recursos para essa obra missionária.

Pergaminho revela um dos primeiros textos do Antigo Testamento

A cópia mais antiga de trechos do Antigo Testamento já encontrada é um frágil pergaminho hebraico que acaba de ser aberto e digitalizado. A revista “Science Advances” publicou nesta quarta (21) que o texto, conhecido como o pergaminho En­Gedi, contém um texto do Levítico datado dos séculos III ou IV, e possivelmente antes.

Trata-se do pergaminho mais antigo do Pentateuco, os cinco primeiros livros da Bíblia, atribuídos a Moisés. Segundo a publicação científica, decifrar seu conteúdo foi “uma importante descoberta da arqueologia bíblica”.

Encontrado em 1970 por arqueólogos numa escavação em En­Gedi, antiga comunidade judia do fim do século 8, o deteriorado pergaminho não podia ser lido. Contudo, o uso de novas tecnologias “nos permitiu desvendar o pergaminho, que fazia parte de uma Bíblia de 1500 anos de idade”, explicou um representante da Autoridade de Antiguidades de Israel.

O estado precário da peça encontrada em uma escavação em 1970 devia-se a ela ter sobrevivido ao incêndio que provavelmente destruiu a sinagoga.

As análises do estilo da caligrafia e os traços das letras mostram que ele pode ter sido escrito na segunda metade do século 1 ou de princípios do século 2 depois de Cristo.

“A estrutura principal de cada fragmento, completamente queimada e esmagada, tinha se transformado em pedaços de carvão que continuavam se desintegrando cada vez eram tocados”, disse o estudo. Os pesquisadores utilizaram como ferramenta um avançado scanner digital para “desenrolá-lo virtualmente e ver seu conteúdo”, explica Michael Segal, diretor da Escola de Filosofia e Religião da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Também ficou comprovado que as passagens decifradas do pergaminho de En­Gedi são idênticas em todos os seus detalhes, tanto as letras como a divisão em seções, ao chamado texto massorético, usado nas traduções até hoje. Isso ajuda a enterrar o mito corrente de que a Bíblia foi alterada ao longo dos séculos.

Agora os pesquisadores pretendem usar as mesmas técnicas para ler outros textos danificados, incluindo parte dos pergaminhos do Mar Morto, que continua sendo indecifrável.

Cristãos são crucificados, queimados e esmagados na Coreia do Norte

Os cristãos na Coreia do Norte enfrentam estupros, torturas, escravidão e são mortos simplesmente por causa da sua fé, comprova um novo e contundente relatório da Christian Solidarity Worldwide (CSW).

A CSW, ONG inglesa que luta pela liberdade publicou este mês o relatório “Total Negação: Violações de Liberdade de Religião ou Crença na Coreia do Norte”, que mostra como não existe liberdade de religião ou crença no país liderado pelo ditador Kim Jong-Un.

“As crenças religiosas são vistas como uma ameaça à fidelidade exigida pelo Líder Supremo, então qualquer pessoa que mantenha a fé acaba sendo severamente perseguida”, afirma o documento. “Os cristãos sofrem de modo significativo por que o partido comunista que lidera o país os rotula como antirrevolucionários e imperialistas.”

Entre os casos documentados de violência contra os cristãos há casos de pessoas “colocadas em uma cruz com uma fogueira embaixo, esmagados por um rolo compressor, jogados de cima de pontes e pisoteados até a morte”.

Outros crimes bárbaros incluem “execuções sem julgamento, extermínio, escravidão/trabalho forçado, transferência forçada de população, prisões arbitrárias, torturas, perseguição, sequestros, estupro e violência sexual, entre outros atos similares”.

Existe uma política de “culpa por associação”, em muitos casos, fazendo com que os parentes dos cristãos também sejam presos, mesmo que não professem a fé cristã, ressalta o relatório.

Embora oficialmente sejam conhecidos apenas 13.000 cristãos na Coreia do Norte, acredita-se que o número real seja muito maior. Existem 121 locais de culto religioso na Coreia do Norte, afirma o Centro de Dados dobre Direitos Humanos da Coreia do Norte, incluindo 64 templos budistas, 52 templos Cheondoista, três igrejas protestantes, uma catedral católica e uma igreja ortodoxa russa.

As cinco igrejas ficam na capital, Pyongyang, no entanto, analistas acreditam que elas servem apenas para tentar mostrar uma boa imagem da Coreia do Norte diante da comunidade internacional, pois não há cultos.

Segundo informações de missões, existem 500 igrejas domésticas na Coreia do Norte, formadas principalmente por pessoas cujas famílias eram cristãos antes de 1950 – início da Guerra da Coreia que dividiu o país. No entanto, eles não poderão estabelecer líderes nem usar materiais religiosos.

O ministério Cornerstone International, que trabalha com os cristãos naquela região, estima que existam entre 200 e 300 mil cristãos norte-coreanos vivendo no país, que não são reconhecidos pelo governo, a verdadeira igreja subterrânea.

Eles são obrigados a praticar sua fé em segredo, pois se forem pegos, serão enviados para campos de trabalhos forçados, bastante conhecidos pela população. Um homem que conseguiu fugir de um deles explicou à CSW que conheceu um prisioneiro que foi enviado para o campo simplesmente porque tinha passado um mês na China estudando a Bíblia.

Templos abertos, mas vazios

Os cristãos não são o único grupo religioso a sofrer sob o regime comunista. Budistas e Cheonistas [crença tradicional coreana] também são tratados como inimigos da revolução, embora a CSW acredite que “o regime pode ter um maior grau de tolerância com as crenças consideradas nativas da Ásia ou da península coreana”. Um dos principais argumentos contra as igrejas é que elas fariam parte de uma tentativa de dominação estrangeira.

Segundo o extenso relatório do CSW, os templos abertos parecem mais com museus que com   prédios de atividades religiosas. “Estas instalações, organizações e instituições permanecem abertas para mostrar a existência de pluralismo religioso e aceitação, mas a realidade é outra”, sublinha o material.

A CSW pede que a comunidade internacional apoie o encaminhamento da Coreia do Norte para o Tribunal Penal Internacional, onde será investigada todas as suas violações de direitos humanos.

Sua petição diz que “Muitos norte-coreanos estão sofrendo por causa de sua fé, e a comunidade internacional precisa agir urgentemente para acabar com a impunidade e garantir a prestação de contas… Todo esforço deve ser feito para buscar a responsabilização e justiça para o povo da Coreia do Norte, que sofre abusos dos direitos humanos em uma escala sem paralelo no mundo moderno”. Com informações de Christian Today

Carmen Silva morre em São Paulo, aos 71 anos

A cantora Carmen Silva, 71, morreu em São Paulo nesta segunda-feira. A artista estava internada no Hospital Presidente desde o dia 14 deste mês e, segundo o relatório médico, sua morte ocorreu por conta de uma parada cardíaca provocada por tromboembolia.

A artista, nos últimos anos, estava afastada do cenário musical. Evangélica, Carmen tornou-se notória no cenário musical brasileiro por suas canções românticas. No segmento evangélico, Silva assinou com a gravadora Graça Music no início da década de 2000 e lançou três álbuns religiosos.

Na carreira evangélica, Carmen se apresentou em eventos relacionados à Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD), de R. R. Soares. Um de seus discos, Minhas Canções na Voz de Carmen Silva, teve composições assinadas pelo televangelista.

Nos álbuns Volume I (2004) e Volume II (2006), Carmen Silva lançou músicas como “Varão de Branco”, “Uma Honra, um Prazer” e “Brilha Jesus” e foi produzida por Carlinhos GerD com arranjos de Felipe Zampieri. Mais tarde, Silva decidiu não renovar com a gravadora e se afastou do cenário musical.

No Twitter, a assessoria de comunicação da gravadora lamentou a morte de Carmen. “Muito querida por todos, sempre tinha um sorriso quando nos via. Voltou para casa”. As informações sobre o sepultamento ainda não foram divulgadas pela família da intérprete.

Colégio no RJ libera o uso de saia para meninos

No Rio de Janeiro um colégio tradicional resolveu mudar suas regras referente ao uso do uniforme, liberando o uso de saia por meninos e de bermudas por meninas.

O informe divulgado no site do Colégio Pedro II diz que a instituição resolveu seguir os parâmetros do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais (CNCD/LGBT).

Na prática, fica estabelecido que não há mais uniformes masculino e feminino, como explicou o reitor Oscar Halac no comunicado oficial.

“Propositalmente, deixa-se à critério da identidade de gênero de cada um a escolha do uniforme que lhe couber. Estamos cumprindo a determinação de uma resolução vigente e procuramos de alguma maneira contribuir para que não haja sofrimento desnecessário entre aqueles que se colocam com uma identidade de gênero diferente daquela que a sociedade determina”.

Deputado critica a posição


Ao se pronunciar no Plenário da Câmara nesta terça-feira, o deputado federal Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ) criticou o posicionamento da instituição de ensino lembrando que outra decisão do colégio foi trocar as letras O e A das palavras aluno e aluna pelo X, seguindo com a as regras da ideologia de gênero.

“Agora, mais absurdo ainda, toma a decisão amplamente noticiada, de que os meninos possam ir para a escola de saia”, disse o parlamentar.

Mostrando sua indignação, o deputado pediu ao Ministro da Educação, Mendonça Filho, para que providências sejam tomadas. “Isso é uma afronta às famílias dos alunos de bem do Colégio Pedro II. Se a moda pega, onde é que nós vamos parar?”, questiona.

O parlamentar aproveitou para lembrar que o Congresso Nacional rejeitou a ideologia de gênero.

“Nós derrotamos essa praga chamada ideologia de gênero na Câmara e no Senado, mas não satisfeitos, aqueles que defendem a causa de destruição da família, querem desqualificar através dos municípios levando essa ideologia falida e vergonhosa que é a ideologia de gênero”, completou.

Assista:

 

Pastor paquistanês refugiado no Brasil conta sua história

A lei de blasfêmia no Paquistão faz a minoria cristã se tornar ainda mais refém da maioria muçulmana. Foi isso que aconteceu com um pastor paquistanês que buscou refúgio no Brasil.

Masih vivia em uma cidade no Estado de Punjab, no sudeste do Paquistão, sendo pastor de uma igreja presbiteriana com aproximadamente 3 mil membros.
Mas certa vez ele foi procurado por um muçulmano que tentou convertê-lo por três vezes. Pela negativa, ele acusou o pastor de ofensa e entrou na justiça querendo receber US$ 70 mil (cerca de R$ 220 mil).

Foram quatro anos de processo até que o juiz conseguiu baixar o valor da multa para um preço que Masih pudesse pagar.

Mas o caso não parou aí. “O meu acusador chamou um bando de fanáticos que me atacaram na minha casa. Me bateram na frente dos meus filhos e da minha esposa. Quando cansaram, disseram que iriam me acusar de blasfêmia”.

A acusação de blasfêmia pode levar uma pessoa à morte, principalmente em Punjab, estado onde a lei é mais severa e a maior prova é o que fazem com Asia Bibi que desde 2010 enfrenta o medo de ser executada a qualquer momento.

O pastor S. Masih, 41 anos, precisou deixar seu país e veio sozinho para o Brasil deixando lá sua esposa e seus filhos.

“Não escolhi o Brasil. Eu não conhecia nada daqui. Tinha pedido visto para a Tailândia, porque era mais perto e mais fácil, mas minha avó morreu na época e o visto venceu. Mas eu precisava sair”, disse ele em entrevista à BBC Brasil que fala português.

Ele chegou ao nosso país em 2013 e foi acolhido pela igreja presbiteriana e hoje atua como pastor na igreja do bairro da Penha, na zona leste de São Paulo.

“Ele teve uma boa aceitação na igreja. Quando escutam a história dele, as pessoas o acolhem bem. Masih acaba conscientizando os fiéis sobre o que acontece com os cristãos em outros lugares do mundo”, disse o Amaury Costa de Oliveira, que há cinco anos acompanha as igrejas perseguidas na Ásia e Oriente Médio e que se interessou pela história de Masih.

Mas agora o pastor tenta juntar dinheiro para visistar sua família no Paquistão e trazer sua esposa e filhos para o Brasil. Ele também precisa ver sua mãe que está doente, seu pai morreu ano passado e a distância deixou o pastor abalado.

“O dia que ele faleceu me machucou muito. Você deixa seu pai, ele te dá um abraço e um beijo de despedida, com a promessa de um reencontro em breve. Mas ele não estará mais lá. A perseguição destrói tudo dentro de você.”

Através da ONG Preparando o Caminho o pastor Amaury está buscando arrecadar o dinheiro para que o pastor possa voltar ao seu país e trazer sua família.