CURTA NOSSA PÁGINA !!!

Faça parte de nossas redes sociais e nosso canal no youtube.

A razão da música no culto ao Senhor


     

  Não vamos à Igreja para "assistir" o culto, quem assiste o culto é Deus, nós vamos prestar (ou dar) culto, vamos para adorar a Deus. O culto a Deus deve ser racional e prestado com decência e ordem:

"(36) Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.(1) Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional." (Romanos 11-36,12-1 ACF)

       "Mas faça-se tudo decentemente e com ordem." (I Coríntios 14:40 ACF)
       O culto é um momento em que nos apresentamos a Deus reverenciando Sua grandeza. Em tal situação, a música deve ser utilizada para levar as pessoas a se aproximarem de Deus, e não para criar um ambiente de festividade e animação carnal. O objetivo do culto não é criar uma ocasião para o deleite pessoal de quem lá estiver. Sua razão de ser é que nos apresentemos a Deus, em gratidão e reverência, e desta maneira a alegria que sentiremos virá de nossa comunhão com Deus e não de qualquer animação carnal.

Música indica circunstância


   

   Quando ouvimos uma música algo vem a nossa mente, ou há uma lembrança de algo, ou há uma identificação de circunstância ou ainda de origem.
      Assim, vemos que certas músicas nos trazem à lembrança amor romântico (eros + ágape), outras apenas a pura paixão carnal (amor eros), outras ainda nos lembram de nossas brincadeiras infantis, outras incentivam à coragem para lutar (marchas militares), outras ainda o folclore carnal (carnaval, forró, etc..) etc..
     Também identificamos as músicas com sua origem, assim músicas de origem mundana, mesmo que tenham a letra modificada para algo dito "cristão", ainda assim serão músicas mundanas, com sua carga carnal.
       Também, músicas vinculadas a igrejas hereges transmitem a idéia de que quem as canta se identifica com as doutrinas pregadas nas igrejas onde estas músicas se originaram. Vemos isto em várias músicas de origem católica, ou de muitos movimentos neo-pentecostais.
       Devemos estar atentos para não pecar pela carnalidade, ou pela identificação com o mal:

"Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. (16) Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. (17) E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre." (I João 2:15-17 ACF)

"Abstende-vos de toda a aparência do mal. (23) E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo." 
 (I Tessalonicenses 5:22-23 ACF)

A musica no Velho Testamento




A música está presente em várias passagens do Velho Testamento. Vamos então ver algumas delas, de modo a que possamos entender sua natureza e aplicação em seu contexto original:
Notemos a pureza da razão pela qual a filha de Jefté estava em dança com adufes (dança folclórica de honra de seus entes queridos que chegam da guerra):

"Vindo, pois, Jefté a Mizpá, à sua casa, eis que a sua filha lhe saiu ao encontro com adufes e com danças; e era ela a única filha; não tinha ele outro filho nem filha." (Juizes 11:34 ACF1)

Observemos agora que no cântico de Moisés, não há tambores ou dança (Êxodo 15:2-19)
Mas, em seguida no cântico de Miriã há, mas não há sinal na Palavra de Deus de aprovação ou de reprovação, apenas o registro do fato. Contudo devemos ter em mente o fato de Miriã não ter bom testemunho perante Deus:

"E falaram Miriã e Arão contra Moisés, por causa da mulher cusita, com quem casara; porquanto tinha casado com uma mulher cusita. (2) E disseram: Porventura falou o SENHOR somente por Moisés? Não falou também por nós? E o SENHOR o ouviu... (9) Assim a ira do SENHOR contra eles se acendeu; e retirou-se. (10) E a nuvem se retirou de sobre a tenda; e eis que Miriã ficou leprosa como a neve; e olhou Arão para Miriã, e eis que estava leprosa." (Números 12:1-2,9-10 ACF)

Devemos também notar que a carnalidade que antes fora observada em Miriã acabou por contaminar o povo:

"E, ouvindo Josué a voz do povo que jubilava, disse a Moisés: Alarido de guerra há no arraial. (18) Porém ele respondeu: Não é alarido dos vitoriosos, nem alarido dos vencidos, mas o alarido dos que cantam, eu ouço. (19) E aconteceu que, chegando Moisés ao arraial, e vendo o bezerro e as danças, acendeu-se-lhe o furor, e arremessou as tábuas das suas mãos, e quebrou-as ao pé do monte;...(21) E Moisés perguntou a Arão: Que te tem feito este povo, que sobre ele trouxeste tamanho pecado? (22) Então respondeu Arão: Não se acenda a ira do meu senhor; tu sabes que este povo é inclinado ao mal;" (Êxodo 32:17-19,21-22 ACF)

Quando as mulheres dançaram louvando a Davi mais que a Saul, o resultado foi inveja e tristeza, como pode ser observado em:

"E as mulheres dançando e cantando se respondiam umas às outras, dizendo: Saul feriu os seus milhares, porém, Davi os seus dez milhares. (8) Então Saul se indignou muito, e aquela palavra pareceu mal aos seus olhos, e disse: Dez milhares deram a Davi, e a mim somente milhares; na verdade, que lhe falta, senão só o reino?" (I Samuel 18:7-8 ACF)

A música é criação divina, é dom de Deus:

"Onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência. (5) Quem lhe pós as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel? (6) Sobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a sua pedra de esquina, (7) Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus jubilavam?" (Jó 38:4-7 ACF)

Mas foi em parte contaminada pelo pecado:

"Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. (14) Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. (15) Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti." (Ezequiel 28:13-15 ACF)

"E o nome do seu irmão era Jubal; este foi o pai de todos os que tocam harpa e órgão." (Gênesis 4:21 ACF)

Lembremo-nos que Jubal era descendente de Caim!
A música dedicada a Deus deve ser santa e santificada, assim como a vida dedicada a Deus deve ser santa e santificada. Deus não irá aceitar cânticos que de qualquer forma apresentem sinais de carnalidade:

"Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos; porque não ouvirei as melodias das tuas violas." (Amós 5:23 ACF)

"Ai dos que dormem em camas de marfim, e se estendem sobre os seus leitos, e comem os cordeiros do rebanho, e os bezerros do meio do curral. (5) Que cantam ao som da viola, e inventam para si instrumentos musicais, assim como Davi; (6) Que bebem vinho em taças, e se ungem com o mais excelente óleo: mas não se afligem pela ruína de José; (7) Portanto agora irão em cativeiro entre os primeiros dos que forem levados cativos, e cessarão os festins dos banqueteadores." (Amós 6:4-7 ACF)

Alimentando as Ovelhas ou Divertindo os Bodes




         Existe um mal entre os que professam pertencer aos arraiais de Cristo, um mal tão grosseiro em sua imprudência, que a maioria dos que possuem pouca visão espiritual dificilmente deixará de perceber. Durante as últimas décadas, esse mal tem se desenvolvido em proporções anormais. Tem agido como o fermento, até que toda a massa fique levedada. O diabo raramente criou algo mais perspicaz do que sugerir à igreja que sua missão consiste em prover entretenimento para as pessoas, tendo em vista ganhá-las para Cristo.
         A igreja abandonou a pregação ousada; em seguida, ela gradualmente amenizou seu testemunho; depois, passou a aceitar e justificar as frivolidades que estavam em voga no mundo, e no passo seguinte, começou a tolerá-las em suas fronteiras; agora, a igreja as adotou sob o pretexto de ganhar as multidões.
         Minha primeira contenção é esta: as Escrituras não afirmam, em nenhuma de suas passagens, que prover entretenimento para as pessoas é uma função da igreja. Se esta é uma obra cristã, por que o Senhor Jesus não falou sobre ela?

"Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura" (Mc 16.15)

        isso é bastante claro. Se Ele tivesse acrescentado: "E oferecei entretenimento para aqueles que não gostam do evangelho", assim teria acontecido. No entanto, tais palavras não se encontram na Bíblia. Sequer ocorreram à mente do Senhor Jesus. E mais:

"Ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres" (Ef 4.11).

       Onde aparecem nesse versículo os que providenciariam entretenimento? O Espírito Santo silenciou a respeito deles. Os profetas foram perseguidos porque divertiam as pessoas ou porque recusavam-se a fazê-lo? Os concertos de música não têm um rol de mártires. Novamente, prover entretenimento está em direto antagonismo ao ensino e à vida de Cristo e de seus apóstolos.
         Qual era a atitude da igreja em relação ao mundo? "Vós sois o sal", não o "docinho", algo que o mundo desprezará. Pungente e curta foi a afirmação de nosso Senhor:

"Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos" (Lucas 9.60).

        Ele estava falando com terrível seriedade! Se Cristo houvesse introduzido mais elementos brilhantes e agradáveis em seu ministério, teria sido mais popular em seus resultados, porque seus ensinos eram perscrutadores. Não O vejo dizendo: "Pedro, vá atrás do povo e diga-lhe que teremos um culto diferente amanhã, algo atraente e breve, com pouca pregação. Teremos uma noite agradável para as pessoas. Diga-lhes que com certeza realizaremos esse tipo de culto. Vá logo, Pedro, temos de ganhar as pessoas de alguma maneira!" Jesus teve compaixão dos pecadores, lamentou e chorou por eles, mas nunca procurou diverti-los. Em vão, pesquisaremos as cartas do Novo Testamento a fim de encontrar qualquer indício de um evangelho de entretenimento. A mensagem das cartas é: "Retirai-vos, separai-vos e purificai-vos!" Qualquer coisa que tinha a aparência de brincadeira evidentemente foi deixado fora das cartas. Os apóstolos tinham confiança irrestrita no evangelho e não utilizavam outros instrumentos.
         Eles não pararam de pregar a Cristo, por isso não tinham tempo para arranjar entretenimento para seus ouvintes. Espalhados por causa da perseguição, foram a muitos lugares pregando o evangelho. Eles "transtornaram o mundo". Essa é a única diferença! Senhor, limpe a igreja de todo o lixo e baboseira que o diabo impôs sobre ela e traga-nos de volta aos métodos dos apóstolos. Por último, a missão de prover entretenimento falha em conseguir os resultados desejados. Causa danos entre os novos convertidos. Permitam que falem os negligentes e zombadores, que foram alcançados por um evangelho parcial; que falem os cansados e oprimidos que buscaram paz através de um concerto musical. Levante-se e fale o alcoólatra para quem o entretenimento na forma de drama foi um elo no processo de sua conversão! A resposta é óbvia: a missão de prover entretenimento não produz convertidos verdadeiros. A necessidade atual para o ministro do evangelho é uma instrução bíblica fiel, bem como ardente espiritualidade; uma resulta da outra, assim como o fruto procede da raiz. A necessidade de nossa época é a doutrina bíblica, entendida e experimentada de tal modo, que produz devoção verdadeira no íntimo dos convertidos.

Mornos Espirituais



Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca (Ap3.16).

        Qual era o problema da igreja em Laodicéia? Jesus dá o diagnóstico: Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente! Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca (Ap3. 15-16). É a única vez na bíblia toda que alguém é capaz de provocar náuseas em Deus, a ponto de ser vomitado. A igreja havia se tornado tão inútil, que Jesus estava quase a ponto de vomitá-la da sua boca. É o caso daqueles que freqüentam os cultos, ouvem a mensagem, são amigos do pastor, fazem uma oferta aqui e ali, vão num mutirão, a um acampamento da igreja, mas nada de compromisso sério com Cristo, suas vidas são tão velhas e ímpias quanto antes.Esses são os "crentes" mornos e estão sempre tentando esconder isso. Mornidão espiritual é uma crônica indiferença para com as realidades espirituais. Um crônico desinteresse para com qualquer reunião de oração, leitura da bíblia, ou para com a vida de comunhão. Qualquer um de nós pode ser atingido pela mornidão espiritual. Não é que a pessoa abandonou a fé, na aparência é como se ela estivesse bem; ela sabe que não está bem, mas esconde isso de todo mundo.

      Um fato interessante, é que o crente morno não é morno para tudo. Ele não é morno para o seu trabalho; não é morno para o seu divertimento; não é morno para o seu time de futebol; não é morno para o seu ídolo musical; não é morno para a Internet; não é morno para a academia; não é morno para o futebol no final de semana; enfim: ele não é morno para as suas paixões mundanas.
         A mornidão ataca apenas uma área da sua vida – a espiritual. Deus acaba se cansando dessa náusea diante dEle e literalmente vomita o crente morno. É por isso que alguns crentes desaparecem prematuramente.
         Alguém pode perguntar: como é que um crente, e mesmo uma igreja inteira pode ser acometida de mornidão espiritual? Tudo começa com um equivocado sistema de medição. Eles confundiam sucesso material com maturidade espiritual.
Jesus disse como isso ocorria:
"pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma..." (Ap. 3:17).
Se você está cansado de ser morno, se você está sentido que o deserto está lhe sufocando, então venha a Cristo e diga: ó Senhor, tu amaste a igreja de Laodicéia, então, ajuda-me também!
Arrependa-se. O verdadeiro arrependimento não é medido pelas lagrimas derramadas, mas pela mudança da direção dos passos. É mudança de paradigma, mudança de mente, mudança de atitude.
      
   Aqui vai uma advertência. Nós não estamos brincando de igreja, estamos lutando pela salvação de nossas almas e pela salvação dos perdidos. Tome uma posição! Obedeça!
Volte-se para Cristo, arrependido de toda indiferença, de toda frieza nas coisas espirituais, pedindo ouro, linho fino e colírio para os olhos da fé(Ap3.18).
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.

Como o falso louvor é introduzido na igreja.




Atualmente a indústria de entretenimento musical secular, são as proprietárias e acionistas de 90% das gravadoras e produtoras "cristãs".
       Essas produtoras "cristãs" em parceria com igrejas, escolas, revistas, redes de TV e rádio, e diversas outras entidades religiosas produzem e divulgam CDs, DVDs e todo tipo de material com conteúdo religioso. Grandes eventos de divulgação são realizados em ginásios, teatros e até em igrejas com o rótulo de louvor e adoração. Grande parte das pessoas que assistem essas apresentações artísticas com conteúdo religioso as tomam como modelo para o louvor e adoração a Deus na igreja e tentam transformar o altar de Deus em palco artístico. Não se pode admitir que um produto com conteúdo religioso cristão na maioria das vezes é feito, concebido, produzido e planejado exclusivamente com intenção de venda. Se o produto não decola em vendas esse produto raramente é reeditado ou o artista consegue lançar novos produtos. No mercado religioso não é a espiritualidade que conta mas o resultado financeiro. Atualmente as gravadoras utilizam as mesmas fórmulas de sucesso do mundo para o mercado religioso. Se um determinado estilo de música está dando certo no meio secular em pouco tempo aparece o seu clone religioso. As vezes até os mesmos músicos coadjuvantes, produtores e artistas gráficos são usados pra produzir o clone religioso. Não podemos esquecer que Jesus expulsou os mercadores do templo. O que esses mercadores vendiam? Elementos para serem usados no templo.
       A diferença de um louvor e adoração efetivo é a forma pela qual utilizamos o elementos e ingredientes: acordes, instrumentos, coreografia, palavras, palmas, vozes, variações, etc.
      Será que o elemento utilizado é um meio ou instrumento para conduzir o adorador a Deus Ou para distrair e desviar a atenção do adorador e o conduzir para apreciar a habilidade humana?
       Fico imaginando esta cena no céu:
       "Mas Senhor eu toquei, cantei e improvisei com melismas e variações maravilhosas em Teu nome... Pulei, dancei, gritei, usei as melhores roupas da minha época, o som mais potente, os melhores instrumentistas e cantores, tudo do melhor... meus cds venderam milhares de cópias... Não é justo que eu não faça parte do teu Reino..."

       (E a resposta... ? Mateus 7.23)