CURTA NOSSA PÁGINA !!!

Faça parte de nossas redes sociais e nosso canal no youtube.

Morre Luiz de Carvalho, pioneiro da música gospel no país

Morre Luiz de Carvalho, pioneiro da música gospel no paísFaleceu na madrugada desta terça-feira (17) o cantor Luiz de Carvalho, 90 anos, o percussor da música gospel no país.
A notícia foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook, o comunicado diz que ele faleceu por volta das 4h30 da manhã.
Nos últimos dias a família usava as redes sociais para dizer que o estado de saúde do cantor era grave. Ele estava internado na UTI após sofrer um AVC no final do mês de outubro.
Luiz de Carvalho tem mais 40 álbuns lançados, 2 DVDs e um livro. Sua obra chegou a ser homenageada durante o Troféu Promessas de 2012, não apenas pelo sucesso que fez, mas principalmente por ter marcado a história da música evangélica.
Nascido em 16 de 1925, natural da cidade de Bauru (SP), Carvalho começou a cantar quando criança, aos dez anos já saiu de casa para trilhar a estrada da música até que na adolescência passou a ser conhecido como “Menino de Ouro” assinando contrato com gravadoras e ganhando notoriedade.
Apenas em 1947 ele aceitou a Cristo, depois de viver uma vida de fama, dinheiro e mulheres. Ele foi evangelizado quando liderava o grupo Havaiano e aceitou a mensagem da Cruz.
Depois de convertido, Luiz de Carvalho resolveu utilizar seu talento para levar o Evangelho e assim iniciou sua trajetória ministerial que tem mais de 60 anos.
O velório do cantor está marcado para acontecer as 20h desta terça até as 9h de amanhã na Igreja Batista Paulistana. O sepultamento vai acontecer às 11h30 no Cemitério Vila Euclides em São Bernardo do Campo.

Nova Constituição do Nepal ameaça os cristãos do país


A nova Constituição do Nepal ameaça a presença de cristãos no país, pois tornaria todas as igrejas ilegais.

Foram sete anos de discussão sobre o novo texto e os parlamentares aprovaram a Carta Magna que dará uma série de razões para impedir o trabalho de missionários no país.

“Enquanto há protestos contra a nova Constituição, as atividades cristãs correm o risco de tornarem-se todas ilegais. Além disso, existe um acordo entre o Nepal e a Índia que estabelece que ambos devem se tornar um Estado hindu. Se os países seguirem à risca, as emendas propostas podem tornar qualquer ato religioso como evangelístico, o que é punível por lei”, analisa um representante do Portas Abertas.

Evangelizar passa a ser motivo de punição, no país 80% da população é hindu e o Estado passa a privilegiar essa religião condenando as demais. E não é só a tentativa de converter as pessoas que será punida, as ações em prol dos necessitados também passam a ser consideradas como rebeldia contra o governo.

Na nova Constituição há uma clausula de “anti-conversão” que dá penas de prisão e multa para quem falar de Cristo para outras pessoas. A comunidade cristã local está bastante preocupada e temendo aos problemas que surgirão.

“Seguidores do cristianismo já sofrem há décadas com as desigualdades e a perseguição religiosa. Eles esperavam que a nova Constituição, que foi criada pela democracia laica, garantisse seus direitos e sua liberdade, mas parece que isto não vai acontecer tão cedo”, diz o analista do Portas Abertas.

Testemunho de cura tem conquistados norte-coreanos para Jesus

Resultado de imagem para Testemunho de cura tem conquistados norte-coreanos para Jesus
A Coreia do Norte ocupa a primeira posição entres os países mais perigosos para cristãos segundo o ranking elaborado anualmente pela Portas Abertas.

Mas apesar da perseguição religiosa, testemunhos como o da sra. Shelter tem levado muitos a conhecerem a Cristo. Ela ficou com uma grave doença e quase morreu há cinco anos, sua cura foi milagre e quem conhece essa história passa a acreditar em Jesus Cristo.

“Eu estive à beira da morte, e então um pastor veio me visitar e orou por mim. Eu presenciei um milagre em meu próprio corpo, e senti na pele a presença de Jesus. E hoje, eu sei exatamente o motivo de Deus ter me curado, Ele queria me usar no ministério”, diz ela que mora em um abrigo para refugiados norte-coreanos.

“Eu vejo as pessoas vagando pelas ruas, à procura de lugares para dormir. Eu simplesmente ofereço esse lugar, e quando eles vão embora querem saber por que eu faço isso sem pedir nada em troca, é quando eu compartilho com eles sobre Jesus e sobre a Bíblia”.

No abrigo também acontecem pregações, Sra. Shelter mora nessa casa localizada em uma rua escura por falta de energia elétrica nos postes, mas isso não impede que o grupo cresça a cada dia.

As pessoas sempre voltam para ouvir mais sobre a mensagem do Evangelho porque ficam impressionada com a cura que Shelter recebeu. “Deus está salvando os norte-coreanos, é por isso que nós seguimos em frente, orientando, guiando e orando com muita fé”.

Mas o governo está de olho nos trabalhos realizados ali e envia muitos espiões para poder acabar com o abrigo. Porém Sra. Shelter tem discernimento para identificá-los e consegue solucionar o caso com a própria fé.

“O Espírito Santo me capacitou no discernimento, e eu consigo identificar os espiões assim que eles chegam. Eu os trato com o amor de Cristo, e no final de suas visitas, eles confessam que vieram para escrever seus relatórios a meu respeito, mas eles acabam escrevendo a meu favor”.

ONU planeja usar chip para identificar toda a humanidade

ONU planeja usar chip para identificar toda a humanidade
O programa Fantástico mostrou no último domingo (01), como o governo brasileiro quer retomar a confecção do Registro Civil Nacional que reunirá todos os dados do cidadão em um único chip, incluindo a identificação biométrica (digitais). A proposta não é nova, foi lançada pelo presidente Lula 10 anos atrás.

O motivo da retomada desse cadastro é por que o Brasil assinou e está promovendo os 17 novos “Objetivos Globais” que a ONU lançou dia 25 de setembro.

Segundo o Prophecy news, escondida na proposta 16, que atende pelo nome genérico de “Paz” está o compromisso de cada nação em fazer cartões de identificação biométricos de cada homem, mulher e criança no planeta até 2030. Já existe uma base de dados central em Genebra, Suíça, que fará o controle dos dados. Chama-se Plataforma Única de Serviços de Identidade (UISP, na sigla em inglês).

O Sistema de Gestão de Identidades da Accenture (BIMS, na sigla original), guardará dados biométricos como impressão facial, da íris e as digitais. O objetivo é fazer um cadastro para posterior rastreamento, se necessário.

O texto do subponto 9 da resolução afirma: “Até 2030, fornecer identidade legal para todos, incluindo o registo de nascimento”. Uma leitura cuidadosa de outros documentos recentes da ONU, a aposta é no registro que já está sendo usado para o cadastramento dos refugiados na Europa.

O site da ONU afirma: “O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) está a avançar com os seus planos para usar a tecnologia biométrica para identificar e rastrear os refugiados, e selecionou um fornecedor para o projeto. Accenture, um fornecedor internacional de serviços de tecnologia, ganhou no concurso e irá supervisionar a implementação da tecnologia em um contrato de três anos”.

Os novos cartões de identificação biométrica após serem testados com sucesso em campos de refugiados, estão prontos para serem adotados de maneira global. Isso será feito por cada um dos países signatários dos Objetivos Globais.

No Brasil o primeiro passo já foi dado através do cadastramento biométrico obrigatório para todos os que desejam votar. Ao total, cerca de 30 milhões de pessoas já fazem parte do banco de dados nacional.

O novo documento acompanhará as mudanças nos registros do cidadão, desde o seu nascimento até o seu óbito. “Quem não sonha sair de casa carregando apenas um documento, em vez de ser obrigado a andar com vários deles na sua carteira ou na sua bolsa?”, afirmou a presidente Dilma no lançamento do projeto, que seguiu para ser votado pelo Congresso.

Segundo a presiente, o governo vai investir todos os recursos humanos e financeiros necessários para finalmente viabilizar a criação de um único número de identificação o quanto antes.

Mais de 3000 povos nunca ouviram falar de Jesus

Mais de 3000 povos nunca ouviram falar de Jesus
Líderes evangélicos conhecidos, como os pastores Rick Warren e Francis Chan estão unindo forças para uma conferência que deseja desafiar a Igreja a retomar seu ardor missionário. Ainda existe 3.226 povos (grupos étnicos) que nunca ouviram falar de Jesus.

“Como parte de uma iniciativa global, queremos ajudar a levar as boas novas do Evangelho para os 3.000 grupos étnicos que ainda não foram alcançados! Essas pessoas, espalhadas em diversas partes do mundo, não possuem a Bíblia em sua língua, nenhum crente conhecido, e nenhuma igreja para representar o corpo de Cristo”, escreveu Warren num convite para o evento de lançamento que ocorrerá em dezembro na Igreja de Saddleback, Califórnia, que ele pastoreia.

Os palestrantes convidados são Francis Chan e Paul Eshleman, além de outros especialistas em missões que desejam estabelecer um plano para que esses grupos não alcançados possam ter acesso ao Evangelho até o final desta década. 

O evento foi batizado de Finishing the Task[Finalizando a Tarefa]. O site oficial lembra que “Jesus nos deu a tarefa de fazer discípulos de todas as nações, e sabemos que, no final de tudo, haverá pessoas de toda tribo, língua, povo e nação ao redor de seu trono.”

Nos últimos anos a igreja norte-americana vem perdendo seu antigo fervor missionário. Durante muitos anos foi de lá que saíram missionários para quase todos os países do mundo. Mas o liberalismo teológico, a crise econômica que o país enfrentou e a diminuição no número de candidatos ao campo missionário contribuíram para que isso se perdesse.

O desafio é cumprir a Grande Comissão, com foco específico na plantação de igrejas entre os grupos não alcançados. Como tudo que Warren faz em sua megaigreja, o projeto pretende estimular os milhares de outros líderes do mundo que se inspiram na Saddleback, através da rede criada pelo movimento “Igreja com Propósitos”.

O material disponibilizado pela Finishing the Task prevê parcerias com organizações missionárias que já possuem como objetivo alcançar esses grupos. Assim, muitas igrejas podem se unir para “adotar” um determinado povo em oração e contribuir financeiramente para os obreiros que desejem trabalhar entre eles.

No site há um mapa interativo que mostra os 531 povos considerados pela igreja de Warren os “mais necessitados”, que somados chegam a 51 milhões de pessoas. Estes serão os primeiros alvos da Finishing the Task. A grande maioria fica em regiões onde predomina o islamismo ou o hinduísmo.

Billy Graham alerta cristãos: “Prepare-se para a perseguição”

Billy Graham alerta cristãos: “Prepare-se para a perseguição”
O conhecido pregador e fundador da Associação Evangelística Billy Graham escreveu um texto em seu site na semana passada e será reproduzido na edição de novembro da revista Decision.

Ele acredita que “a imunidade à perseguição que os cristãos em nosso país têm experimentado nos últimos dois ou três séculos é incomum”. Embora fale especificamente para os norte-americanos, sua análise inclui os cristãos de todo o mundo ocidental.

“Como um todo, não sabemos o que é sacrifício. Nós não sabemos o que é sofrimento… Se começarmos a experimentar um pouco de perseguição religiosa, é provável que, sob pressão, muitos negariam a Cristo. Aqueles que gritam mais alto sobre a sua fé são os que podem render-se mais rápido.”

Graham sugeriu que os cristãos lembrassem de “cinco maneiras para fortalecer sua fé e enfrentar esses dias”. Mencionou certificar-se como está sua relação com Deus, caminhar com Deus, ler regularmente as Escrituras, orar sempre e meditar sobre Cristo.

“A história e a Bíblia indicam que ter bens materiais é algo insuficiente em tempos de grande crise” continuou Graham. O famoso pregador listou uma série de coisas que vem acontecendo no mundo que servem como indicadores que a perseguição é uma realidade crescente.

É a primeira vez que o evangelista, que está completando 97 anos na próxima semana, se manifesta de maneira tão clara sobre a situação.

Graham lembra que não há base bíblica garantindo que ficaríamos livres da possibilidade de ser perseguidos por causa de Cristo. Na verdade, Cristo alertou seus seguidores que ser seu discípulo não seria uma decisão popular. “Lançarão mão de vós, e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e às prisões, e conduzindo-vos à presença de reis e presidentes, por amor do meu nome”, diz o texto de Lucas 21:12

O apóstolo Paulo ressaltou isso em 2 Timóteo 3:12: “Todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições”.

Nos últimos anos, seu filho, Franklin Graham, tornou-se um crítico contumaz das políticas que ele acredita formatarem a crescente hostilidade contra os cristãos. Com informações Christian Post