CURTA NOSSA PÁGINA !!!

Faça parte de nossas redes sociais e nosso canal no youtube.

Billy Graham: "A Bíblia registra o pecado de muitos para que aprendamos com eles"

A Bíblia não se coíbe de controvérsias do passado e dá um relato honesto dos erros cometidos por homens e mulheres durante esse tempo, de acordo com o lendário evangelista norte-americano Billy Graham. Há uma boa razão pela qual a Bíblia não "encobre as falhas daqueles cujas vidas ela registra", diz ele.

Se a Bíblia não revelasse plenamente essas falhas "poderíamos nos perguntar se ela é realmente precisa e poderia ser confiável. Mas ela é confiável, e uma das razões é por causa de sua honestidade sobre a natureza humana", disse Graham em um artigo para o 'Star City Kansas'.

Ele diz que a Bíblia aborda claramente os pecados dos homens e mulheres que deveriam estar seguindo a Deus e isso foi registrado porque Deus quer que os cristãos de hoje aprender com tais erros.

"Uma das razões para isso acontecer é que vamos aprender com seu exemplo e não cometer os mesmos erros que eles cometeram. Eles não falharam porque Deus não havia dito a eles como Ele queria que vivessem. Eles falharam porque viraram as costas para a Palavra de Deus e optaram por seguir seus próprios caminhos. E isso pode acontecer com a gente ", explica Graham.

O versículo da Bíblia em 1 Coríntios 10:11 diz: "Essas coisas aconteceram a eles como exemplos e foram escritas como advertência para nós".

Além disso, Graham diz que a Bíblia registra o pecado, de modo que as pessoas venham perceber o quanto eles precisam de um Salvador.

"Nós não somos diferentes destas pessoas [personagens bíblicos]. Nós também pecamos, nós também precisamos do perdão de Deus e Deus tornou isso possível através do envio de Jesus Cristo - o único que não tinha pecado - ao mundo para tirar os nossos pecados", diz Graham.

"Como nota de rodapé, não deixe que nada lhe roube a sua confiança na fidelidade da Palavra de Deus, a Bíblia. Através dela, podemos vir a conhecer a Cristo, e através dela nós descobrimos a vontade de Deus para nossas vidas. Nos tornamos parte de Sua vida todo dia".

Saeed Abedini diz que a oração era sua principal atividade na prisão: "Quase 20 horas em um dia"

O Pastor Saeed Abedini - cidadão norte-americano que foi liberto de uma prisão no Irã, no início deste mês - falou sobre a tortura que sofreu durante o cativeiro e sua constante oração a Deus em sua primeira entrevista pós-libertação.

Abedini disse à repórter Greta Van Susteren, da Fox News, que os interrogadores iranianos tentaram convencê-lo a assinar documentos de confissão de crimes que ele não havia cometido durante seus os mais de três anos que passou na prisão. Apesar da pressão dos funcionários, ele se recusou a assinar todas as vezes.

"Em um dos interrogatórios, eles me espancaram com muita força", disse o pastor, lembrando que esta agressão lhe causou um sangramento do estômago. Ele também foi ameaçado de ser espancado até a morte e lhe disseram que, mesmo após a sua libertação, ele ainda seria acompanhado de perto pelas autoridades iranianas.

Atualmente, Abedini está em um tempo de retiro com membros seus familiares no Centro de Treinamento Billy Graham, na Carolina do Norte (EUA). O pastor foi levado para este local, após chegar aos Estados Unidos e ser recebido pelo prórpio pastor Franklin Graham - atual presidente da Associação Evangelística Billy Graham.

Saeed Abedini foi alvo de importantes campanhas internacionais, que pediram a sua liberdade, com grupos de combate à perseguição religiosa e líderes mundiais, como o presidente Barack Obama se envolvendo na negociação com o Irã para libertá-lo.

Abedini assegura que o único motivo de sua prisão no Irã foi a sua fé cristã, porém o governo iraniano continua a afirmar que ele foi punido por "usar o cristianismo para tentar prejudicar a nação do Irã".

O pastor que vivia com sua família em Boise (Idaho / EUA) revelou que uma das coisas mais difíceis durante o seu tempo na prisão foi encontrar uma forma de fazer passar o tempo, uma vez que os guardas da prisão não lhe davam livros ou qualquer coisa para mantê-lo entretido.

Ele disse na entrevista que "a cada dia, por horas e horas, às vezes mais de 20 horas, só orava".

"A melhor coisa que eu podia fazer ali era [orar]", acrescentou.

Abedini revelou que sentiu-se mais animado quando ele foi transferido para a mesma cela de prisão do ex-fuzileiro naval dos EUA Amir Hekmati.

"Quando eles me mandaram para outra cela - que Amir Hekmati, da Marinha, estava lá, vendaram meus olhos e me levaram para quarto, e lá em cima, eu acho que, passei quase 60 dias com Amir".

"Em primeiro lugar, quando eu removi a venda dos meus olhos, e eu vi Amir, eu me fiquei de coração partido por ver o que eles fizeram com alguém da nossa Marinha", Abedini observou, explicando que Hekmati já estava muito magro e fraco.

Susteren disse que muito de suas conversas com Abedini serão reveladas nas próximas semanas.
Franklin Graham, presidente e CEO da Associação Evangelística Billy Graham, que foi uma das principais vozes, clamando pela libertação do pastor Saeed, disse em um comunicado na semana

passada que ninguém na América pode "compreender ou imaginar o que Saeed sofreu após ser preso no Irã por causa de sua fé cristã".

"Queremos oferecer-lhe um lugar tranquilo para descansar e visitar com a família", acrescentou, referindo-se a permanência de Abedini no Centro de Treinamento Billy Graham.

Um caso de violência contra cristãos ocorre por dia na Índia

Um caso de violência contra cristãos ocorre por dia na Índia

Ataques contra cristãos na Índia foram relatados quase todos os dias de 2015, afirma o relatório de ONG. “O país viu 355 incidentes de violência, incluindo 200 grandes incidentes, durante o ano passado”, explicou Joseph Dias, do Mumbai Catholic Secular Forum, em entrevista ao site da World Watch Monitor.

O relatório anual do grupo, lançado em meados de janeiro, concluiu que “simplesmente não é seguro” ser cristão na Índia. Diante do descaso do governo, pelo menos sete pastores foram mortos ano passado. Além disso, dezenas de freiras foram estupradas e centenas de cristãos acabaram presos por causa das leis anti-conversões.

O caso mais emblemático é de um casal de cegos e seu filho de três anos de idade. Eles foram detidos pela polícia no distrito de Dhar, em Madhya Pradesh, acusados de violar a lei que proíbe conversões através de “sedução” ou “força”. Mesmo sem provas, apenas com acusações de ‘testemunhas’ ele ficaram várias semanas na cadeia, explica o pastor Suresh Mandlo.

O World Watch Monitor atribuiu o aumento de incidentes contra os cristãos ao Bharatiya Janata Party [Partido do Povo Indiano], que assumiu o poder em algumas regiões do país. “O Bharatiya encorajou os grupos nacionalistas hindus”, disse Dias, do Mumbai Forum. Ele lembra que episódios recentes envolveram também líderes cristãos estrangeiros que trabalham na Índia.

“O discurso do ódio está se aumentando e abrindo caminho para atrocidades”, acrescentou.

Ao mesmo tempo, o Vishwa Hindu Parishad [Conselho Mundial do Hinduísmo], divulgou que estava realizando muitas “reconversões” de pessoas que haviam abandonado o hinduísmo para se tornar cristãos e estariam voltando a antiga fé. O relatório do grupo hindu afirma que nos últimos 10 anos, fora reconvertidos mais de 500.000 cristãos.

O ativista cristão John Dayal disse World Watch Monitor que esses números devem ser questionados, pois muitos estavam sendo forçados e ameaçados. “Essas estatísticas são produtos de mentes febris e uma ideologia falida. Seu propósito real é político e aguça a polarização contra as minorias religiosas, e especialmente a comunidade cristã “, enfatizou.

Dayal lembra do importante trabalho social dos cristãos na Índia, um país com um alto índice de miséria.

O pastor Vijayesh Lal, diretor da Comissão de Liberdade Religiosa da Associação Evangélica da Índia, disse que a violência contra os cristãos é uma questão bastante antiga, mas tem piorado muito recentemente.

Os líderes temem que ocorra uma nova onda de violência anticristã no país, como a de 2008, quando 300 igrejas e 6.000 casas de cristãos foram saqueadas e incendiadas, deixando cerca de 50.000 cristãos desabrigados.

Pastor fala das ameaças que sofreu por ser ex-travesti

Pastor fala das ameaças que sofreu por ser ex-travesti

Em entrevista ao G1 o pastor Joide Miranda revelou que já foi ameaçado pelas redes sociais por ativistas do movimento gay. O pastor é ex-travesti e não nega apoio espiritual aos homossexuais que o procuram desejando deixar a prática.

Entre as mensagens recebidas, a ameaça dizia que o religioso estava com os dias contados. “A mensagem dizia que meus dias estavam contados e que eu seria destruído”, relatou Miranda.

Mas esta não foi a única vez que ele foi alvo de perseguição, em outro tempo dois homens chegaram a persegui-lo nas igrejas durante as pregações, fora as mensagens que ele recebe pelas redes sociais e que são guardadas caso seja necessário registrar um boletim de ocorrência.

Para Joide Miranda as mensagens não parte dos homossexuais, mas sim dos ativistas. “Os homossexuais são pessoas maravilhosas, profissionais excelentes e não gostam de parada gay e exposição. Os ativistas gays é que agridem e nos chamam de homofóbicos e fundamentalistas”, declarou.

Quanto a essas acusações, o pastor deixa claro que seu discurso não discrimina homossexuais e nem mesmo travestis. “Não maltrato ninguém. O meu discurso é para mostrar que os homossexuais são pessoas iguais a todas as outras”.

A única diferença é que ele e sua esposa, Édna Miranda, não dão as costas quando são procurados por quem quer deixar a prática. “Se eles quiserem sair dessa vida, mostramos que tem uma luz. Porém, que não quiser não podemos fazer nada”, explicou o pastor que já lançou um livro contando sua conversão.

E não são poucos os que procuram o casal pedindo ajuda. “Existe uma multidão, mas elas não são mostradas”, disse Édna ao afirmar que pela quantidade muitos acabam não sendo atendidos pelo casal.

Até pessoas de outros países procuram Joide Miranda e sua esposa querendo se tornar heterossexuais. Até mães que não aceitam o comportamento dos filhos buscam por apoio por quem já viveu a homossexualidade como foi o caso do pastor.

O pastor tenta explicar a esses pais para não destratarem os filhos nem dizer que eles estão endemoniados. “São pais e mães inexperientes. Assim eu explico que atitudes assim só vão gerar ódio e revolta”, disse Joide.

Mais de 125 mil pessoas assinam petição para libertar pastor preso na Coreia do Norte




Mais de 125 mil pessoas já assinaram uma petição online, pedindo pela libertação de um pastor canadense, atualmente preso pelo governo comunista da Coreia do Norte (RPDC).

O Rev. Hyeon Soo Lim - um pastor de 60 anos de idade que nasceu na Coréia do Sul e naturalizou-se canadense - foi condenado a prisão perpétua no mês passado e atualmente cumpre sua pena, sendo submetido pelas autoridades Coreia do Norte a trabalhos forçados.

Uma petição lançada pelo site 'change.org' pede ao Secretário-Geral das Nações Unidas Ban Ki-moon, ao primeiro-ministro do Canadá Justin Trudeau, e ao ministro de Negócios Estrangeiros do Canadá Stephane Dion, que usem de suas funções / competências para libertar o Rev. Lim.

"O governo canadense e as Nações Unidas têm de tomar medidas fortes, positivas agora. Se houver vontade política, o pastor Lim pode ser resgatado", diz um trecho da petição.

"Poucos de nós têm a coragem e dedicação para colocar em risco a nossa vida e liberdade pelo bem daqueles que necessitam. Mas todos nós podemos ajudar com #bringlimhome #freepastorlim. Por favor, assinem e compartilhem!".

Pastor da Igreja Presbiteriana Luz, de 3.000 membros, localizada na região de Toronto, Lim foi para a Coréia do Norte em janeiro de 2015 como parte de uma viagem missionária.

Em fevereiro do ano passado (2015), a família e os amigos de Lim tinha perdido o contato com o pastor Lim e mais tarde foi revelado que o pastor havia sido preso por agentes norte-coreanos.

A estação de mídia 'KCNA' (controlado pelo governo da Coreia do Norte) disse que Lim havia "[cometido crimes, como] atividades religiosas anti-RPDC, falsa propaganda entre os coreanos no exterior e [teve] parte ativa na operação de um grupo conservador grupo para seduzir e raptar cidadãos da RPDC [...] detidos em seus programas de 'desertores do Norte".

Em dezembro, cerca de 1.000 pessoas realizaram uma vigília de oração na igreja do Pastor Lim, no Canadá, clamando pela libertação do líder cristão.

No início deste mês, Will Ripley da CNN conseguiu entrevistar Lim na Coreia do Norte e o pastor disse que ele estava recebendo refeições regularmente e acompanhamento médico durante este tempo na prisão.

"Lim está preso em um campo de trabalhos. Ele parece ser o único preso ali. Ele não tem contato com quaisquer outros prisioneiros. Lim trabalha oito horas por dia, seis dias por semana, com intervalos para descanso, cavando buracos para o plantio de pés de maçã no pomar da prisão", informou a CNN.

"Há sempre dois guardas vigiando-o. Ele está cumprindo uma sentença de prisão perpétua com trabalhos forçados. Ele não tem nenhum contato com o mundo exterior".

A petição foi criada por Ji-Soo An, do curso de Direito das Universidades de Alberta e Hyun-Soo Lim, do curso de Direito da Universidade de Yale. Além da língua inglesa, a petição também está disponível em francês, coreano, chinês e japonês.

Cientistas vislumbram descoberta de 9º planeta e pastor responde: "Não é surpresa para Deus"

Enquanto o mundo pondera as implicações de um nono planeta no nosso sistema solar, o evangelista Franklin Graham destacou em sua página oficial do Facebook que "uma coisa é certa: A descoberta não é nenhuma surpresa para Deus".

"Há muito entusiasmo sobre os cientistas terem anunciado que eles podem ter descoberto um nono planeta em nosso sistema solar, que é cerca de 10 vezes maior que a Terra e é cerca de 20 vezes mais distante do Sol," Graham postou no Facebook.

"Esta pode ser uma grande surpresa para nós, mas se houver outro planeta lá fora, ele não surge como nenhuma surpresa para Deus. Se ele está lá, Deus fez isso. A Bíblia nos diz: 'Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez'. (João 1: 3)".

Os cientistas anunciaram a descoberta do "Planeta Nove" - como foi apelidado pelos cientistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) - no dia 20 de janeiro.

O pesquisador Mike Brown disse à CNN, que os cientistas não viram o planeta em si, mas a descoberta de certos objetos os têm ajudado a deduzir a sua presença.

"Houve somente dois verdadeiros planetas descobertos desde os tempos antigos, e este seria um terceiro. É um pedaço muito substancial de nosso sistema solar que ainda está lá fora para ser encontrado, o que é muito emocionante", diz Brown.

Quanto ao pastor Franklin Graham, ele vê isso como uma oportunidade de adorar a Deus e reconhecer Sua grandeza.

"Quando o tempo como nós o conhecemos chegar ao fim, a humanidade ainda estará descobrindo coisas novas que não sabia sobre Sua obra complexa, imensa e impressionante. 'Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos' (Salmos 19:1). Não importa o quão velho eu me torne, nunca deixo de me maravilhar com a criação de Deus. E você?", finalizou.

Criança evangeliza amigos e fotos viralizam nas mídias sociais: "A Palavra não volta vazia"

O relato emocionante de um internauta de Curitiba, que testemunhou um garoto de apenas 9 anos evangelizando seus colegas no pátio de um condomínio está emocionando milhares de pessoas nas mídias sociais.

Segundo Tiago Miguel, o fato ocorreu na manhã do último domingo (17), no condomínio onde mora, em Curitiba (PR). A forma simples e espontânea como o pequeno Caio Samuel falou sobre Jesus para seus dois amiguinhos lhe chamou a atenção.

"Hoje pela manhã, acordei e ouvi pelo condomínio algumas crianças conversando. Parei alguns minutos na sacada para ouvi-los. O de camiseta alaranjada estava contando aos outros como Deus é lindo. Que ele era o seu maior Herói e que ele mudou a história da sua família", disse.

"Ao final, perguntou para os meninos se eles já conversaram alguma vez com Deus. Os meninos disseram que não, então ele perguntou: 'Quer falar com Ele e com Jesus agora?' Eles disseram 'sim'. Ao final sentaram no meio do caminho e ele convidou os dois para repetir a oração e os dois convidaram Jesus para entrar em suas vidas. Levantaram e foram jogar bola. simples assim... #ensinaacrianca #ensinaocaminho #deleseoreino".

Após a postagem de Tiago (que já foi compartilhada por quase 27 mil usuários do Facebook), uma outra internauta que desenvolve um trabalho com mães em oração localizou a mãe de Caio Samuel e colheu o depoimento dela, publicando-o no Facebook, como resposta à repercussão que o fato gerou.

"Creio que de alguma forma o Senhor fez com que esse post chegasse a nós por 'coincidência', pois ele tem nos ensinado a importância de evangelizarmos e educarmos os nossos filhos no caminho do Senhor... e isso é a prova que Deus está nos mostrando... estão vendo? Não desanimem jamais, pois a palavra de Deus jamais volta vazia... aquilo que somos dentro das nossas casas, nossos filhos representam a essência da nossa família lá fora no mundo", disse Fernanda - mãe do pequeno Caio.

A mãe também relatou que Caio Samuel tem sido um verdadeiro missionário em sua escola, contando as histórias bíblicas para os colegas e para a professora, sempre que tem oportunidade.

"No fim do ano fui buscar o boletim dele e a professora dele me fez chorar, pois ele contagia a todos com suas histórias bíblicas. Ele conta para a sala de aula, todos os dias, sobre aquilo que tem enchido o coração dele e a professora automaticamente leva as histórias dele para a filhinha dela, na casa dela. As crianças o amam na escola e eu digo para vocês: ele já impactou a vida de muitas pessoas, pois não tem vergonha de falar do amor de Cristo. Ele só tem 9 anos", relatou.

"Creio que Deus tem para os meus dois filhos, um lindo propósito nessa vida. Eu só posso ter meu coração grato ao Senhor, pois todos os mandamentos de promessa se cumprem e eu testemunho isso para vocês. 'Crê no Senhor Jesus e será salvo tú e a tua casa'. Meu joelho está no chão pelos meus filhos, desde 14 anos atrás, quando fui mãe pela primeira vez. Toda honra e Glória pertencem ao Senhor nosso Deus e Pai", finalizou.

Pastor Rick Warren fala sobre crise com refugiados: "Se não ajudarmos, duvido da nossa fé"




Um número de líderes de igrejas cristãs, incluindo o pastor Rick Warren (da Igreja Saddleback), falou na última quarta-feira (20), durante o econtro 'GC2', na Igreja Comunidade Cristã em Naperville, Illinois (EUA) sobre a importância de que os cristãos 'sigam os passos de Jesus e ajudem os refugiados'.

A conferência contou com um número de sessões / painéis focados na crise de refugiados que está em curso e afetando diversos países do oriente e do ocidente, mais notavelmente com os milhões de pessoas na Síria e na região circundante que fogem da guerra civil e que procuram refúgio em nações ocidentais. Pastores evangélicos falaram junto a grupos de ajuda, como a Visão Mundial e a 'World Relief', sobre a 'necessidade urgente' de que a Igreja na América se envolva com esta causa e ajude de maneira significativa.

Rick Warren centrou a sua mensagem para o público em Naperville - além de todos aqueles que o assistiam ao vivo online - na vida e missão de Jesus Cristo, e pediu aos cristãos para se preocupar com as coisas que Jesus se preocupava.

"Jesus ama a Igreja, e ele ama o mundo", disse Warren.

O pastor da Igreja Saddleback também apontou que Cristo era indiferente às coisas tais como perigo pessoal, política e até mesmo as tradições religiosas.

"Ele valorizava muitos mais as os relacionamentos que as regras", acrescentou. "Jesus nunca ficou com raiva de pessoas sem religião. Ele só ficou com raiva de pessoas que deveriam saber mais. Todos os problemas em Mateus 23 e Lucas 11 são relacionados a pessoas religiosas. E era por isso que as pessoas comuns e os moradores de rua amavam Jesus. As únicas pessoas que tiveram um problema com Jesus foram os religiosos. Quando Jesus viu as que pessoas que se aproveitavam dos pobres, ele ficou com raiva", o pastor continuou.

Ele disse que Cristo também ficou irritado quando as pessoas não fizeram nada para ajudar os necessitados e quando a necessidade das crianças não foram atendidas.

"A maior crise de refugiados já vista por nós está acontecendo agora, e as pessoas estão ignorando isto. Na verdade, elas estão fechando as fronteiras. Estive em alguns dos maiores campos de refugiados do mundo, mas nunca vi nada como isto", disse Warren sobre o tema principal da conferência.

Ele então falou sobre os esforços da Saddleback ao longo dos anos para enviar ajuda aos campos de refugiados, e disse que as pessoas estão atualmente sem água, sem saneamento básico, e sem comida.

"Por que nós nos preocupamos com esses refugiados? Por que temos que nos preocupar com os estrangeiros? Por que nos preocupamos com os imigrantes? O que a Bíblia às vezes chama de estrangeiros, estrangeiros na terra? Porque Deus ordena. Ao longo de toda a Escritura, Deus diz que você precisa tratar gentilmente as pessoas que são forasteiras em seu país", continuou ele.

O pastor apontou que Jesus, Maria e José já foram 'refugiados', e não retornaram a Israel até que o rei Herodes morreu:

"Deus ordena tudo em toda a Escritura - 'Você deve cuidar do estrangeiro, como se fosse com você mesmo'. E o amor exige isso. A Bíblia diz que 'que sabe fazer o bem e não o faz, comete um pecado'. É por isso que nos últimos 15 anos, a Saddleback enviou mais de 26.000 membros para todo o mundo".

Warren explicou que para cumprir a Grande Comissão, as pessoas têm de "amar, como Jesus ama".

"Temos de ser indiferente ao que Jesus é indiferente, e nós temos que estar com raiva das coisas que Jesus fica com raiva. E nós temos que nos sacrificar pelo que Jesus se sacrifica".

Ele também insistiu que o "todo o sentido do cristianismo é tratar das feridas da vida - onde as pessoas estão sangrando, sentido dor e morrendo - e tomar a própria cruz. E se nós não estamos fazendo isso, eu duvido do nosso cristianismo".

Após libertação de Saeed Abedini, organização alerta sobre a perseguição religiosa no mundo

Esposa do pastor Saeed, Naghmeh Abedini fala sobre perseguição religiosa durante uma conferência de Direitos Humanos, em 2013 (Foto: ACLJ)

O Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ) - grupo que alertou e conscientizou sobre a grave situação do pastor Saeed Abedini, preso no Irã e recolheu milhões de assinaturas, reivindicando a sua libertação - está aproveitando a grande repercussão que as notícias sobre a liberdade do pastor estão alcançando para apontar à perseguição que tantos outros cristãos têm sofrido em outras partes do mundo.

"O objetivo do nosso envolvimento no caso do Pastor Saeed por mais de três anos era duplo: mantê-lo vivo em uma das prisões mais perigosas do mundo e trabalhar para garantir a sua libertação. Para isso, implementamos um período de três pontos estratégicos", disse o chefe de conselho da ACLJ, Jay Sekulow em uma declaração ao 'Christian Post' nesta segunda-feira (19).

"Primeiro, queríamos contar com o envolvimento do Departamento de Estado. Em segundo lugar, sabíamos que tínhamos de trabalhar com a comunidade internacional. E, finalmente, aqui em casa, sabíamos que era vital contar com o envolvimento dos membros do Congresso na luta pela liberdade do Pastor Saeed", explicou Sekulow.

Abedini, que ficou preso no Irã por mais de três anos simplesmente por não negar sua sua fé cristã, foi liberto pelo governo iraniano, juntamente com três outros americanos, no último fim de semana.

Notícias da tão esperada libertação do pastor foram bem recebidas por políticos norte-americanos, incluindo o presidente Barack Obama, embora alguns, como os senadores Ted Cruz (Texas) e Marco Rubio (Flórida), criticaram a 'troca de prisioneiros' que permitiu que isso acontecesse.

Sekulow não se pronunciou sobre as questões políticas que cercam a libertação dos quatro norte-americanos, mas disse que a ACLJ é grata tanto pela libertação do pastor, quanto pelos mais de 1 milhão de pessoas que assinaram petições e ofereceram suas orações pela causa.

"O fato é que a libertação do pastor Saeed - e dos outros norte-americanos - não deveria ter demorado tanto. Devíamos ter assegurado a sua libertação antes mesmo de nós começarmos a negociar com os iranianos", acrescentou.

"Com a libertação do Pastor Saeed, este caso isolado chega ao fim. Nossa atenção agora está focada agora na situação dos numerosos outros cristãos perseguidos em todo o mundo. Enquanto nós nos alegramos de que o pastor Saeed esteja agora livre, continuamos nosso trabalho para proteger os cristãos sob ataque por causa de sua fé".

Naghmeh Abedini, a esposa do pastor recém-liberto, falou sobre estas últimas notícias e também expressou sua gratidão a todos os que a apoiaram durante os momentos difíceis que enfrentou.

"Eu queria dizer muito obrigada a todos vocês por terem orado e chorado com a gente, assinando as petições e chamando a atenção de seus funcionários do governo. Obrigado por terem apoiado a nossa família durante esta jornada difícil", escreveu Naghmeh Abedini.

Judeu ortodoxo relata sua conversão ao evangelho: "Quando li a Bíblia, meu coração se derreteu"



Neriyah Arabov dando o seu testemunho para o projeto "Chosen People". (Imagem:  Youtube)
Neriyah Arabov dando o seu testemunho para o projeto "Chosen People". (Imagem: Youtube)

Ele cresceu na antiga União Soviética, mas quando estava com 17 anos, fugiu do Uzbequistão com sua família judaica do regime comunista em ruínas na época e imigrou para Israel.

"Quando vim pela primeira vez a Israel, eu me apaixonei pelo país", diz Neriyah Arabov. "A primeira coisa que tocou meu coração foi o incrível senso de patriotismo em todas as pessoas que eu conheci", disse ele em uma entrevista para o projeto "Chosen People" ("Povo Escolhido").

No começo, ele não compreendeu a razão pela qual sua família mudou-se para Israel. Mas, à medida que o plano de Deus se desenvolveu em sua vida, ele começou a ver esta mudança como parte do propósito de Deus para "restaurar o Seu povo".

Na antiga União Soviética, ele era o único estudante judeu em sua escola no Uzbequistão. "Meu nome Neriyah era claramente destoante entre os Mashas, ​​Sashas e Pashas [nomes russos]. Eu também era diferente em muitos outros aspectos", conta ele.

"Minha pele era mais escura do que a de meus colegas de classe, e eu não tinha permissão para comer fora da minha casa, porque nossa família mantinha a cultura da alimentação kosher".

Neriyah conta que ele se alegrou com uma coisa depois da sua chegada a Israel: ele nunca mais seria chamado de "judeu sujo" por seus compatriotas. "Eu não seria mais perseguido por causa da minha raça e das minhas crenças".

Quando ele entrou para as Forças de Defesa de Israel, sua ligação com o povo de judeu se aprofundou. Depois que ele terminou seu serviço militar e encontrou trabalho no município 'Tel Aviv' (capital de Israel) encontrou-se com um homem russo que compartilhou com ele a notícia 'surpreendente' de que Jesus é o Messias de Israel.

"Até aquele ponto da minha vida, eu me considerava um judeu ortodoxo", observa ele. "Mas eu estava curioso que ele parecia saber mais que eu sobre a Bíblia. Eu era religioso. Gostaria de ir para sinagoga. Eu usava um quipá, sabia todas as orações [judaicas], no entanto, em meu coração, eu ainda não acreditava que Deus realmente existia".

"Em nossas conversas, no entanto, eu percebi que eu realmente não conhecia a Bíblia. Eu comecei a ler mais, para provar para o meu novo amigo que ele estava enganado a respeito de Jesus".

Mas quando Neriyah começou a ler a Bíblia, algo inesperado aconteceu. No Livro de Isaías, capítulo 53, ele leu algo que o impactou profundamente. "Ficou claro para mim, os profetas estavam falando sobre 'Yeshua', mas eu tinha medo de admitir isso."

Neriyah pensou que se ele seguisse Jesus, seria rejeitado por seus amigos judeus, da mesma forma que foi rejeitado na escola onde eu cresceu, no Uzbequistão.

Mas quanto mais ele lia a Palavra de Deus, mais a sua resistência ao evangelho diminuía. "Quando li a Bíblia, meu coração se derreteu. Eu percebi que era um pecador, indigno da graça e da bondade de Deus, e que era eu quem estava enganado, não meu amigo".

Um dia, enquanto lia a Bíblia, Neriyah pediu a Deus para lhe mostrar a verdade sobre um assunto pessoal, que ele ainda não havia compartilhado com ninguém.

Ele ficou chocado quando Deus respondeu sua oração. Ainda resistente, ele pensou que que isto poderia ser uma coincidência.

Então Deus respondeu a uma segunda oração e lhe revelou a verdade de novo sobre o assunto!

"Eu caí de joelhos e orei diretamente a Deus pela primeira vez na minha vida. Eu disse: 'Deus, perdoe-me por minha incredulidade. Eu quero ser teu. Você é o meu Deus".

Naquele momento, ele se entregou a Yeshua / Jesus como seu Senhor e Salvador e nasceu de novo
.
Ele ainda nutria alguma apreensão sobre seguir a Jesus e se isso lhe traria sofrimento com uma discriminação semelhante ao que ele experimentou na União Soviética. Mas depois que ele orou a Deus, confessando esse temor, o medo desapareceu.

Pouco tempo depois, ele se encontrou com um rabino tradicional e compartilhou seu testemunho. O rabino ouviu atentamente enquanto Neriyah compartilhada a partir de Isaías 53 e Daniel 9.

"O rabino não discutiu comigo. Ele só me perguntou quem eu era, onde eu morava, e que eram os meus parentes". Quando Neriyah partiu, o rabino chamou sua família para alertá-los sobre as 'novas crenças' de Neriyah.

Logo ele enfrentou o repúdio de seus tios e tias. "Como você pode fazer uma coisa dessas?", Perguntaram. "Por que você acredita em Yeshua? A sinagoga não é boa o suficiente para você? O que você está procurando com os cristãos? Você deve antes de tudo aprender sobre sua própria fé. Por que você está entrando em algo que não é o judaísmo?".

"Todo mundo que me via, falava: Lá vai aquele idiota que acredita em Yeshua'. Comecei a orar a Deus pela libertação da minha casa e da minha família daquela turbulência".

Pouco depois, o Dr. Mitch Glazer do Ministério "Chosen People" visitou Neriyah em Israel. Ele pediu ao recém-convertido que se mudasse para os EUA e participasse do programa de uma faculdade bíblica e Neriyah concordou.

"Os Estados Unidos tornaram-se um local confortável para mim. Eu queria ficar longe dos conflitos que a vida em Israel pode trazer", confessou.

Crise de saúde
Em 2001 Neriyah estava terminando seus estudos, mas precisava conseguir uma série de documentos e se submeter a exames finais. "Nesta pressão eu comecei a sentir dores de cabeça muito graves e eu tomava muitos comprimidos analgésicos. Acabei sendo internado em um hospital. O médico me disse que meus rins estavam em apuros".

Quando Neriyah tinha 14 anos, seu irmão de 26 anos de idade morreu de insuficiência renal, por isso, parecia haver uma predisposição para a doença renal em sua família.

Os médicos informaram-lhe que dentro de dois a cinco anos ele teria que se submeter a sessões de hemodiálise ou precisaria de um transplante de rim.

"Inicialmente eu não aceitei isso", confessou. Neriyah voltou a Israel para receber atendimento médico. Então conheceu uma mulher maravilhosa e eles se casaram em 2002, mas em 2004 precisou se submeter a sessões de hemodiálise.

Neryah (sentado à direita), com sua esposa Anna (à esquerda) e seus filhos.




Ele também se tornou um ancião em uma congregação messiânica. "A congregação cresceu enormemente, e eu orava continuamente pela cura do meu corpo".

Deus ouviu sua oração e orquestrou o tipo de resposta somente o Senhor poderia trazer.

Resposta milagrosa de Deus
Uma mulher chamada Cynthia Barnett - até então desconhecida para Neriyah - estava orando em Monroe (Michigan / EUA), quando Jesus teria lhe feito um pedido um tanto 'incomum'.

Eu escolhi você para doar parte do seu corpo para alguém que você não conhece. Vá para Israel e doe um de seus rins para Neriyah.

"Como posso fazer isso?", questionou a mulher. "Eu tenho 50 anos de idade. Tenho seis filhos".

"Eu não estou forçando você. Eu estou sugerindo a você", disse Jesus, segundo ela relata.

Em obediência ao Senhor, Barnett viajou para Israel, procurou por Neriyah e descobriu que seu rim era perfeito para o transplante... seria muito bem aceito pelo organismo dele. A operação foi um sucesso.

Um ano depois, em julho de 2005, a esposa de Neriyah, Anna deu à luz uma linda menina. Eles deram ao bebê, o nome de Cynthia - em homenagem à mulher que doou seu rim a Neriyah.

"Toda vez que eu apresentamos os meus filhos nos perguntam: 'Baruch e Sarah são nomes bíblicos, mas de onde surgiu a ideia do nome de Cynthia?'. Então eu sempre tenho a oportunidade de compartilhar sobre o milagre que Deus fez na minha vida", contou ele.

Infelizmente, o rim doado por Barnett parou de funcionar em 2011. "Eu não lamento por isso", diz Neriyah. "Deus realizou muitas coisas nesses seis anos maravilhosos".

Em 2012, Neriyah e sua esposa começaram uma nova congregação em sua vizinhança, em Israel. "Estamos servindo a nossa comunidade de muitas maneiras novas e maravilhosas. Nós distribuimos alimentos para famílias carentes. Fazemos passeios gratuitos aos locais sagrados, a fim de pregar o Evangelho. Estamos cuidando de sobreviventes do Holocausto em nossa cidade. Vemos os frutos do ministério de Deus constantemente. Não muito tempo atrás, nós batizamos sete pessoas e atualmente estou discipulando outras quatro".

Neriyah está de volta às sessões de hemodiálise, três vezes por semana. "O fato de que Deus me usa, apesar da minha debilidade física é um tremendo milagre e outro milagre está a caminho!".

"No ano passado, um pastor coreano de Nova Jersey chegou a Israel com o desejo de doar seu rim. Eu não estava pronto para submeter-me à cirurgia de transplante na época, mas hoje, se Deus quiser, eu e ele seremos compatíveis. Seu nome é Leo Park. Por favor, orem para que a vontade de Deus na minha vida e na dele seja feita. Em julho vamos saber definitivamente se o transplante pode ser feito. Obrigado pelas suas orações!", finalizou.

Missionário morre em ataque da Al-Qaeda e esposa comenta: "O céu ganhou um guerreiro"




Um missionário norte-americano foi uma das dezenas de vítimas que morreram durante um ataque da Al Qaeda no país africano de Burkina Faso, no último fim de semana.

Michael Riddering, que foi uma das 28 pessoas mortas por militantes ligados à Al Qaeda, em Ouagadougou (capital de Burkina Faso), na sexta-feira (15) à noite, era pai de quatro filhos e diretor de um orfanato e um centro de crise das mulheres na cidade de Yako, sua mãe in-law, Carol Boyle, disse à Associated Press.

Riddering, que viajou para Burkina Fase em 2011, juntamente com sua esposa, Amy Boyle-Riddering, passou pela capital do país na sexta-feira à noite para encontrar um grupo de pessoas que a aspiravam ser voluntariar para o trabalho no dirigido por ele.

Boyle explicou que Riddering chegou cedo para o café, onde ele deveria encontrar o grupo. Quando o ataque começou, Riddering estava no café, com um pastor local. Vários tiros foram disparados e Riddering e o pastor foram dispersos em diferentes direções.

O pastor, que arrumou chegou anotar o número do celular da esposa de Michael, ligou para o missionária, explicando o que tinha acontecido e dizendo onde eles estavam. Embora o pastor tenha sobrevivido, Michael acabou sendo baleado e morreu no local.

Antes de vender suas propriedades e bens para que eles pudessem se deslocar para Burkina Faso para desenvolver o trabalho no orfanato 'Refúgio Les Ailes', em Yako, no ano de 2011, Michael trabalhou como gerente de uma empresa de equipamentos para embarcações, enquanto sua esposa trabalhava como designer gráfica.

"Ele foi extremamente amado e respeitado", disse a esposa do missionário. "Ele não era um hipócrita, ele não usava máscaras. Ele teve sua luz guia, e ele a seguiu".

O orfanato comandado pelo Ridderings cuidava de 400 crianças, com salas de aula, uma clínica e um lar para mulheres vítimas de abuso. O orfanato foi patrocinado pela organização cristã missões "Sheltering Wings", que patrocina uma série de missões na África Ocidental.

"Eles estavam ansiosos para continuar a trabalhar em Burkina Faso e criar seus filhos juntos", disse um comunicado da Missão. "Tragicamente e inesperadamente, a vida de Mike foi interrompida. Sofremos com Amy e sua família, e todos que conheciam Mike".

John Anderson, um membro do conselho da 'Sheltering Wings', disse à AP que Riddering era o tipo de homem que iria fazer o trabalho pesado que outros se esquivavam de fazer.

"Durante a crise do Ebola, quando era difícil encontrar pessoas para fazer a escavação, Mike saía e se juntava a eles para que pudessem continuar a fazer o trabalho", disse Anderson. "E isso é trabalho árduo. Ele nunca parou de se mover e nunca parou de ajudar."

De acordo com a CNN, o Ridderings adotaram dois de seus filhos, já quando moravam em Burkina Faso.

A 'Sheltering Wings' criou um fundo de doação on-line que irá apoiar Boyle-Riddering (esposa do missionário) e seus filhos durante este tempo perturbador em suas vidas.

"O céu ganhou um guerreiro! Eu sei que Deus tem um propósito em todas as coisas, mas às vezes é um completo mistério para mim", postou Boyle-Riddering em seu perfil do Facebook. "Meu melhor amigo, parceiro e amor da minha vida. O melhor marido já visto. Um pai incrível para seus filhos. Meu coração está tão pesado e eu estou tendo dificuldade em acreditar que ele se foi. Mike foi um exemplo na maneira como ele viveu e amou. Deus seja glorificado! Mike Riddering, eu o amarei sempre! Você deixou um legado aqui. Eu só posso imaginar as aventuras que você está tendo agora".

Esposa de Saeed Abedini agradece a milhões de pessoas que oraram pela liberdade do pastor



Naghmeh Abedini - esposa do pastor que foi liberto, após passar mais de três anos preso no Irã - fez algumas postagens em sua página do Facebook, agradecendo ao reverendo Franklin Graham e vários grupos que mobilizaram milhões de pessoas em uma campanha de oração e também recolheram assinaturas, reivindicando a libertação do pastor Saeed Abedini e outros três prisioneiros norte-americanos, que estavam detidos no Irã.

Morre aos 93 anos de idade, o pastor José Rego - fundador da Igreja Batista da Lagoinha



Faleceu na manhã desta segunda-feira (18), aos 93 anos de idade, o pastor José Rego do Nascimento - um dos fundadores da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte (MG).

Em uma nota de pesar, o pastor Márcio Valadão - presidente da Igreja Batista da Lagoinha - falou sobre o acontecido, destacou a contribuição do líder para a divulgação do evangelho e a relação de discípulo que teve com o pastor.

Pastor Saeed Abedini é liberto da prisão e líderes celebram: "No tempo de Deus"




 O pastor do sul da Califórnia, Greg Laurie, que liderou comícios de oração pela libertação do pastor norte-americano Saeed Abedini de uma prisão iraniana onde ele foi mantido em cativeiro por mais de três anos, afirmou que a libertação de Abedini ocorreu no "tempo perfeito de Deus".


"Os cristãos de todo o mundo oraram fielmente pela libertação do pastor Saeed Abedini", Laurie disse na tarde de sábado. "Isso não aconteceu tão rapidamente como se esperava, mas aconteceu no tempo perfeito de Deus. Agora, queremos lembrar que continuem a orar por Saeed, sua esposa, Naghmeh, e seus filhos, já que eles estão finalmente reunidos, bem como o resto de sua família".

Os cristãos de diversas partes do mundo que oraram pela libertação do pastor Saeed Abedini ainda estavam esperando na noite de sábado pela confirmação de que Abedini e os outros três norte-americanos libertos durante a noite da última sexta-feira estavam em um local seguro.

Entre os quatro norte-americanos que foram libertos no Irã, também estavam o jornalista do Washington Post, Jason Rezaian; o ex-fuzileiro naval norte-americano, Amir Hekmati e Nosratollah Khosravi-Roodsari.

Os quatro americanos foram trocados por sete iranianos que tinham sido condenados ou ainda aguardavam julgamento nos Estados Unidos, segundo informações da imprensa. Os EUA divulgaram a lista destes sete homens iranianos na manhã de domingo.

Segundo a CNN informou, ainda pela manhã, um avião que transportava pelo menos três dos quatro americanos já havia partido. No domingo, a Casa Branca disse que outro norte-americano, o estudante Matthew Trevithick, também foi liberto - mas não como parte da troca de prisioneiros - e também já havia partido do Irã.

A troca de prisioneiros ocorreu antes da execução do acordo nuclear entre o Irã e seis potências mundiais - incluindo os Estados Unidos.

Laurie compartilhou que a esposa de Abedini, Naghmeh expressou junto aos seus filhos, a alegria com a notícia da libertação de Saeed da prisão iraniana.

"Ela ainda está à espera de informações do Departamento de Estado sobre quando e onde ela poderia se encontrar com seu marido", disse Laurie. "A irmã de Saeed, Zeebandeh Abedini, disse que a família se sentiu como em uma 'montanha russa emocional' e que os pais de Saeed estavam em lágrimas desde a noite passada [emocionados com a boa notícia]".

"Ela (Naghmeh) também citou o Salmo 30: 11-12: 'Mudaste o meu pranto em dança, a minha veste de lamento em veste de alegria, para que o meu coração cante louvores a ti e não se cale. Senhor, meu Deus, eu te darei graças para sempre.
Salmos 30:11,12'. (NVI)", relatou.

A negociação de "troca de criminosos iranianos para reféns americanos", deixou muitos norte-americanos - incluindo Laurie - preocupados, apesar da boa notícia da libertação dos cidadãos dos EUA.

"Pessoalmente, isso não me faz sentir gratidão para com a nação do Irã", disse ele. "Eles nem deveriam ter feito Saeed como prisioneiro, para começar, de modo que esta libertação é o mínimo que podiam fazer".

"Este é um bom lembrete de que Deus está, em última análise, no controle. Quando o rei Herodes - um ímpio - executou o apóstolo Tiago e encarcerada Simão Pedro, a igreja começou a orar fervorosamente (Atos 12)".

"Isso foi o que aconteceu em nível mundial pelo Pastor Saeed e Deus respondeu às nossas orações. Ele pode mover até mesmo as pessoas ímpias para cumprir os Seus propósitos. A Bíblia diz: 'O coração do rei é como uma corrente de água dirigida pelo Senhor;.. Ele o guia para onde Ele quer' (Provérbios 21: 1 NVI)".

Quando questionado sobre a parte "amarga" da negociação libertação de prisioneiros, Laurie respondeu: "Podemos lembrar que Deus faz com que todas as coisas cooperem para o bem daqueles que O amam e são chamados segundo o seu propósito (Romanos 8:28). Deus permitiu que o Pastor Saeed sofresse nesta prisão, assim como Ele permitiu que o grande apóstolo Paulo para enfrentasse circunstâncias semelhantes".

"Há outros irmãos e irmãs... muitos cristãos que sofrem com perseguição religiosa por parte de nações hostis, porque estes se atrevem a falar sobre sua fé, como o Pastor Saeed fez. É por isso que devemos orar... para que nós nunca percamos a liberdade nos Estados Unidos a proclamar abertamente o evangelho de Jesus Cristo".

Cantora cristã em estado terminal fala sobre fé e morte: "Estou pronta para voltar para casa"

Reprodução
Reprodução

Em uma publicação cheia de emoção, o cantor country Rory Feek compartilhou, pela primeira vez, que sua esposa, a vocalista Joey Martin Feek, está realmente morrendo e eles precisavam começar a dizer adeus. A informação foi publicada em um post no blog do cantor, no último sábado, 9, com o título “When I'm Gone” (quando eu for embora).

"Eu gostaria de dizer que ela está indo muito bem e vai vencer esta coisa. Mas eu não posso", escreveu Rory. Ele ainda revela sobre a dor de Joey e o aumento do desconforto diário, além da dosagem de morfina necessária que teve de ser quadruplicada para ajudá-la a se sentir mais confortável, nos últimos dias.

"Ontem, com lágrimas em seus olhos e nos meus também, Joey segurou minha mão e me disse que ela tem tido conversas sérias com Jesus. Ela disse que contou a Cristo que se ele está pronto para levá-la... ela está pronta para voltar para casa", compartilhou Rory de 49 anos.

“When I'm Gone” é uma referência a uma canção escrita por uma das amigas do casal, Sandy Lawrence, que, anos atrás, escreveu uma canção para sua mãe, de quem ela estava cuidando, e acabou falecendo. Joey e Rory gravaram a canção em 2012.

"Sabíamos que a gravação era especial e nossa esperança era que a mensagem da canção pudesse ajudar alguém que está no perto de perder alguém que ama ou quem já perdeu alguém e está tentando encontrar um sentido em tudo isso", Rory postou.

Rory disse que acredita que Deus sabia que ele precisaria de Joey para dizer-lhe adeus. "Não apenas uma vez, mas mil vezes. E eu preciso saber que não importa quanto tempo passe, que ela ainda me ama".

Rory disse que não está irritado com a ironia da canção. "Como eu poderia estar? Como muitos homens que estão a perder a mulher que ama poderiam ter um dom como esse? Nenhum que eu saiba" Os Feeks terem pedido para inserir “When I'm Gone” aos novos hinos que são importantes para nós num álbum que está saindo no Dia dos Namorados em Cracker Barrel. Não é um hino clássico, mas para nós ele é. É uma canção muito especial, cheio de esperança e amor. E com o tempo, eu acredito que ele vai ter o poder de ajudar a curar um milhão de corações partidos", concluiu Rory.

Joey foi diagnosticada com estágio 4 de câncer em maio de 2014, mas apesar de vários tratamentos e cirurgias, o câncer voltou. Em novembro de 2015, a corajosa de 40 anos foi internada em cuidados paliativos após o término de tratamentos do câncer no final de outubro. Ela voltou para a casa e aproveitou para viver seus últimos dias preciosos com a família e amigos.

Número de cristãos aumenta de forma intensa na Arábia Saudita e Emirados Árabes

(Foto: Satish Kumar / The National)
(Foto: Satish Kumar / The National)
Com a fuga de milhões de cristãos do Oriente Médio, o cenário do cristianismo tem sofrido uma intensa mudança na região.

Exemplo dessa alteração acontece em países como a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos. De acordo com um relatório da organização Portas Abertas, o cristianismo era praticamente inexistente neles há cem anos — haviam apenas 80 cristãos nos Emirados Árabes em 1910 (0,1% da população) e 50 na Arábia Saudita.

Cem anos mais tarde, em 2010, o cristianismo explodiu para 12,6% da população dos Emirados Árabes e 4,4% da Arábia Saudita. Apesar de não ser uma maioria, os dados representam o crescimento significativo em uma região islâmica conservadora.

Este aumento não se limita a estes dois países. Ao longo do Golfo, nações como Bahrein, Kuwait, Omã e Qatar presenciam um intenso aumento de suas populações cristãs. Este crescimento é ainda mais extraordinário quando comparado com o êxodo em massa dos cristãos de países vizinhos.

O Líbano, por exemplo, costumava ser um país de maioria cristã, representada por 77,5% da população em 1910. Agora esse número é de 30,4%. No entanto, o número ainda é saudável em comparação com a Turquia e a Síria, onde o cristianismo despencou de 21,7% e 15,6%, respectivamente, para apenas 0,2% e 2,7%.

Ainda assim, o crescimento do cristianismo no Golfo traz consigo os traços da perseguição religiosa. Os ex-muçulmanos convertidos são punidos com a morte em ambos os países, onde o evangelismo é proibido. Na Arábia Saudita, qualquer manifestação pública de outras religiões são ilegais, e cristãos são forçados a participar de rezas islâmicas.

Ainda que muitos muçulmanos tenham se convertido, a grande maioria dos novos cristãos do Golfo são imigrantes. Desde 1910, a região se tornou extraordinariamente rica, atraindo muitos estrangeiros. Hoje, nos Emirados Árabes Unidos, os cristãos já são pouco mais de 10% da população.

Grande parte destes imigrantes vêm de países fortemente cristãos, como as Filipinas. A maioria deles são católicos romanos, substituindo a população cristã original, que era, em grande parte, ortodoxa.

Apesar do dramático aumento, é provável que haja pouca mudança para a tolerância religiosa na região. Poucos imigrantes cristãos possuem cidadania, e muitos são trabalhadores pouco qualificados — o que significa que a sua estadia no país seja temporária.

Brasileiro dá testemunho de fé em prêmio da FIFA

Brasileiro dá testemunho de fé em prêmio da FIFA
O (até então) desconhecido jogador brasileiro Wendell Lira surpreendeu o mundo ao vencer o prêmio Puskás, com o “gol mais bonito de 2015”. Em votação pela internet, o então jogador do Goianésia teve 46,7% dos votos. A eleição contabilizou 1,6 milhão de votos. Aos 27 anos, o atacante venceu o favorito Lionel Messi, do Barcelona, que teve 33,3%, e Alessandro Florenzi, da Roma, com 7,1%.
Nesta segunda (11), Lira recebeu o troféu na cerimônia realizada pela Fifa em Zurique, na Suíça. O gol que lhe rendeu fama mundial foi uma “meia-bicicleta”, marcado dia 11 de março quando o Goianésia enfrentou o Atlético-GO, na primeira fase do Campeonato Goiano.
A carreira de Lira foi marcada por um início promissor, sendo destaque no Goiás e convocações pela Seleção Brasileira sub-20. Por causa de constantes lesões, acabou perdendo espaço e jogou por times de pequena expressão com Trindade, Anapolina e Goianésia.
Atuou pelo Tombense na última Série C. Estava sem clube quando soube da indicação ao Puskas. Dois meses atrás assinou com o Vila Nova (GO), e disputará o Campeonato Goiano e a Série B este ano.
Na festa da FIFA ele estava ao lado de jogadores como Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar. Mas seu discurso de agradecimento foi impactante pela demonstração de fé. Iniciou agradecendo a Deus, depois aos que votaram nele. Por fim, lembrou da mulher e da filha.
Então comparou sua situação com a história de Davi e Golias.  “Queria deixar uma passagem bíblica. Creio eu que quando o gigante Golias apareceu, disseram: ‘Ele é muito forte, é muito grande, não tem como ganhar dele. Davi quando olhou para Golias disse: ‘Ele é muito grande, não tem como errar’. É assim que temos de enfrentar os problemas do dia a dia em nossa vida e é dessa forma que agradeço”, discursou.
Evangélico, em sua página do Facebook, o jogador rotineiramente posta versículos e fala da sua fé. Na última mensagem antes do sucesso mundial, escreveu: “Que seja feito a vontade de Deus nessa premiação e que antes de mais nada toda honra e glória seja do Senhor”.
Nas outras edições o Puskas premiou jogadores consagrados do futebol mundial como Cristiano Ronaldo, Neymar, Zlatan Ibrahimovic e James Rodriguez. Com informações das agências.
Assista:

Pastor preso na Coreia do Norte cava buracos o dia todo

Pastor preso na Coreia do Norte cava buracos o dia todo
O pastor Hyeon Soo Lim, de 60 anos, tem cavado buracos todos os dias cumprindo sua pena de prisão perpétua na Coreia do Norte. Os trabalhos forçados fazem parte da pena como ele mesmo contou em entrevista à rede CNN.
O religioso é único recluso na prisão onde está e todos os dias ele segue essa rotina de trabalhos duros. “Nunca fui operário, então no início estes trabalhos eram duros”, disse ele que tem cidadania canadense.
O trabalho é realizado oito horas por dia, seis dias por semana abrindo buracos para a horta do presídio.

Billy Graham fala sobre o retorno de Jesus Cristo: “Não encare Suas advertências despreocupadamente”

Segundo Graham, este é o tempo onde as pessoas devem se voltar verdadeiramente para Jesus. (Foto: Reprodução)
Segundo Graham, este é o tempo onde as pessoas devem se voltar verdadeiramente para Jesus. (Foto: Reprodução)
A Bíblia indica que a condição do mundo antes da segunda vinda de Jesus Cristo se tornará cada vez pior. Diante do atual estado da humanidade, o retorno tem se tornado cada vez mais iminente, Segundo opina o renomado evangelista Billy Graham.

Em um artigo escrito por ele para o jornal norte-americano The Kansas City Star, Graham disse que em diversos pontos, a Bíblia adverte contra prever o tempo exato da volta de Jesus — embora as pessoas estejam, provavelmente, vivendo os últimos dias.

Ainda que as pessoas continuem inseguras sobre o momento exato da volta de Jesus, Graham afirma que temos que caminhar apenas com a certeza de que seu retorno é certo.

"Pouco antes de voltar para o céu, Jesus disse aos discípulos que um dia Ele iria voltar para estabelecer Seu reino. Mas antes que isso pudesse acontecer, Ele disse: ‘Certas coisas teriam que acontecer, e nós vemos muitas deles hoje", disse Graham.

Um exemplo citado por Graham foi quando Jesus disse, em Marcos 13:10, que o Evangelho deveria ser pregado em todo o mundo antes do fim. “Isso poderia parecer impossível há algumas décadas, mas a tecnologia moderna trouxe o mundo junto com ela. O Evangelho está sendo pregado em todo o mundo através do rádio, da televisão e da internet.”

Outro sinal apontado por Jesus é que Satanás teria uma "última tentativa de deter a obra de Deus por meio de um ataque sólido do mal", aponta Graham.

"O nosso mundo não é um estranho para o mal; Satanás sempre trabalhou para deter os planos de Deus, mas agora os inimigos de Deus têm acesso a armas modernas de destruição em massa, e ninguém pode prever qual será o resultado", disse ele.

"Jesus disse: 'Vocês ouvirão falar de guerras e rumores de guerras, mas não tenham medo. É necessário que tais coisas aconteçam, mas ainda não é o fim. Nação se levantará contra nação, e reino contra reino. Haverá fomes e terremotos em vários lugares (Mateus 24: 6-7)’", complementa.

Segundo Graham, este é o tempo onde as pessoas devem se voltar verdadeiramente para Jesus e colocar toda sua fé e confiança Nele. "Não encare Suas advertências despreocupadamente, mas entregue a sua vida, sem demora, a Jesus Cristo", disse ele.

Pesquisa: Saiba como é o cenário do cristianismo no Brasil

O estudo demonstra o aumento da massa evangélica de 26,2 milhões em 2000 para 42 milhões em 2010. (Foto: Accepting Evangelicals)
O estudo demonstra o aumento da massa evangélica de 26,2 milhões em 2000 para 42 milhões em 2010. (Foto: Accepting Evangelicals)
Há algumas décadas, o cristianismo se estabeleceu como a maior religião do mundo. Cerca de 31,7% da população mundial segue a fé em Jesus Cristo — ao todo, são mais de 2,18 bilhões de cristãos no mundo.
 
Os Estados Unidos é o país com maior número de cristão no planeta, com mais de 246 milhões. O Brasil fica em segundo colocado, com mais de 175 milhões de cristãos. O terceiro lugar fica para o México, com 107 milhões de cristãos.

Os dados foram divulgados em uma pesquisa realizada pelo Pew Research Center, que apontou o panorama completo de cristão no mundo: 51,4% são católicos, 36% são evangélicos e 12,6% são ortodoxos. Dentre os evangélicos, a maioria segue a linha teológica pentecostal.

No Brasil, o catolicismo ainda é a religião predominante e configura a maior população católica do mundo. No entanto, as estatísticas mostram que, nas últimas décadas, o número de católicos tem se reduzido. 

Em 1940, os católicos eram 95,5%, enquanto 2,6% eram evangélicos. A década de 70 apresentou uma pequena queda, onde haviam 91,8% católicos e 3,7% evangélicos.
 
Na década seguinte, o número de católicos se manteve em 90%. Já em 2000, ocorreu a maior queda de católicos: seus seguidores foram para 73,6%, enquanto os evangélicos aumentaram para 15,4%. Os dados de 2010 apontam que, atualmente, existem 64,6% de católicos e 22,21% de evangélicos.

O estudo demonstra o aumento da massa evangélica de 26,2 milhões em 2000 para 42 milhões em 2010. Dentre eles, 60% são pentecostais, 18,5% protestantes missionários, 21,8% protestantes não determinados.
 
O estado que tem a maior proporção de evangélicos é Rondônia, com 33,8%, enquanto o estado do Piauí tem a maior proporção católica, com 85,1%.

Gabriela Rocha - Teu Santo Nome


Casa de recuperação lança documentário para arrecadar fundos‏

Casa de recuperação lança documentário para arrecadar fundos‏

 O pastor Mauricio Ribeiro, responsável pelos trabalhos da Comunidade Terapêutica Semeando Vidas – um projeto de reabilitação para usuários de drogas – está lançando um documentário com o objetivo de arrecadar fundos para expandir esse trabalho.
No documentário encontramos a história do próprio pastor que se envolveu com drogas na adolescência. Aos 16 anos ele conheceu a Deus, mas aos 17 voltou ao mundo do vício e entrou de vez para a criminalidade. Anos mais tarde, Mauricio começou a escrever uma nova história de vida.
Outras duas histórias são retratadas nesse documentário, Daniel Vicente e Fabiano Araújo que são frutos do trabalho da Comunidade Terapêutica Semeando Vidas que já ajudou quase 100 homens desde sua fundação, há quatro anos.
Em 13 minutos de vídeos, vemos como esses homens conseguiram abandonar o vício e ainda podemos conhecer sobre os trabalhos da Comunidade Terapêutica Semeando Vidas onde o pastor Mauricio Ribeiro e sua esposa, Michelle Ribeiro, ajudam outras pessoas a se livrarem das drogas.
Mas no documentário também vemos a importância de ajudar esta obra, com dificuldades para organizar as documentações do terreno onde o projeto é tocado, em Marsilac, bairro do extremo-sul da cidade de São Paulo, a comunidade corre o risco de fechar.
Por isso é tão importante encontrar parceiros que ajudem este ministério a continuar funcionando e ajudando usuários de drogas a vencerem esse vício.
Assista:

Cristã relata como foi ser sequestrada pelo Boko Haram

Cristã relata como foi ser sequestrada pelo Boko Haram
Quando os terroristas do Boko Haram invadiram a cidade de Gwoza, no estado de Borno – isso em junho de 2014 – uma jovem de 22 anos foi separada de seu pai e foi sequestrada, sendo forçada a se casar com um dos soldados.
Pela primeira vez a Mercy, nome fictício da jovem, falou sobre o que aconteceu no dia que os extremistas a levaram para o cativeiro.
“Todo mundo na cidade correu para se salvar. Meu pai e eu fomos separados. Eu não sei o que aconteceu com ele. Eu acho que ele morreu da mesma maneira que muitos outros morreram, porque eles se recusaram a negar a Cristo. Eu e outras quatro mulheres fomos levadas sob ameaças de espancamento, caso não obedecêssemos às ordens”, relata.
Mercy ficou cinco semanas sob domínio dos extremistas, sendo obrigada a assistir vários assassinatos e sendo submetida às exigências dos seus captores para seguir ao Islã.
Muitas mulheres, com medo, aceitaram se tornar muçulmanas. “Meu primeiro dia foi um inferno, eu chorava muito, mas também orava pedindo a Deus para me dar coragem. Fomos interrogadas, eles nos convidaram a nos tornar muçulmanas. As mulheres aceitaram imediatamente e se casaram com membros do Boko Haram”, disse Mercy.
Mas ela não queria negar a Cristo e por isso foi espancada. “Eu implorei dizendo ser cristã, então apanhei muito e me forçaram a casar com um deles. Participei de ensinamentos islâmicos e orações. Também fui torturada. Vi muitos cristãos sendo mortos, mas não negaram a sua fé.”
Apesar de todo o sofrimento, Mercy permaneceu firme em sua fé e pode ver o cumprimento de diversas mensagens bíblicas. “Graças a Deus fui resgatada após uma campanha do governo e mesmo vivendo entre ruínas agora, sou grata a Jesus porque estar viva e livre”, completa. Com informações Portas Abertas

Artefato de Nabucodonosor é exibido em Jerusalém

Esta semana, o Museu Terras Bíblicas, em Jerusalém, exibiu um artefato muito antigo que pertenceu ao rei babilônico Nabucodonosor II. Trata-se de um cilindro de escrita cuneiforme com uma inscrição, onde o rei refere a si mesmo como um líder que “gosta da verdade e da justiça”.
Segundo o curador do Museu Terras Bíblicas, Filip Vukosavović, a peça “expressa uma perspectiva completamente diferente de Nabucodonosor da forma em que judeus pensaram sobre ele nos últimos 2 mil anos”.
Sabe-se pelos registros bíblicos e históricos, que ele foi um rei cruel, que destruiu Jerusalém e o Templo e exilou os judeus para a Babilônia. Contudo, Vukosavović afirma que o cilindro “mostra Nabucodonosor sob uma luz completamente diferente, e como um grande rei que quer justiça e faz justiça com o seu povo”.
A exibição do artefato faz parte de exposição “Pelos rios da Babilônia”, que mostra a história do exílio forçado do povo judeu para a Babilônia. O cerco a Jerusalém feito por Nabucodonosor e seu exército ocorreu 2500 anos atrás.
O curador explica que “Mesmo que a inscrição não tenha uma ligação direta com o exílio dos judeus para a Babilônia, ainda é sobre Nabucodonosor, um dos reis mais notórios para os judeus na história”.
O texto no cilindro fala ainda sobre a construção ou reconstrução do Templo de Ishtar, a deusa mais importante na história do Oriente Médio, na cidade de Uruk. Não há outras inscrições históricas relacionadas a esta cidade.
Na inscrição exibida em Jerusalém, Nabucodonosor mostra que percebia sua missão como algo determinado pelos deuses Marduk e Shamash, que lhe deram “um nome imponente para ser governador da terra, e deu-me os muitos povos para pastorear”.

Nabucodonosor na Bíblia

O nome desse rei babilônico é citado em diferentes livros da Bíblia. Quando Zedequias, filho do rei Josias fez um tratado com o faraó do Egito, contrariou os avisos do profeta Jeremias (Ez 17. 15).
Acabou rompendo sua aliança com o rei da Babilônia. Nabucodonosor, depois de um cerco de dezoito meses, tomou a cidade de Jerusalém em 586 a.C.
Logo após a conquista de Jerusalém, ocorreu a queda de Tiro e a completa submissão da Fenícia, 586 a C. (conforme Ezequiel 26 e 28). No livro de Daniel mostra como o rei foi confrontado pelo Deus de Israel, sendo acometido de uma loucura temporária. Quando teve a sanidade restaurada reconheceu a justiça do Senhor.

Billy Graham entra na lista de pessoas mais admiradas pelo 59º ano

Billy Graham entra na lista de pessoas mais admiradas pelo 59º anoCom a publicação da lista das 10 pessoas mais admiradas do mundo em 2015, o nome do evangelista Billy Graham aparece depois de líderes religiosos como o papa Francisco e o Dalai Lama. Contudo, ele quebrou o recorde de 59 menções consecutivas.
Na lista das mulheres mais admiradas, o recorde pertence à rainha Elizabete II, que aparece pela 47ª vez.
Desde 1955, quando a lista do Instituto Gallup começou a publicar sua pesquisa anual, Billy Graham só ficou de fora apenas em 1962 e 1976, anos em que a lista não foi publicada.
Embora a pesquisa seja realizada apenas entre norte-americanos, nenhuma outra pessoa na história foi citada tantas vezes.
Aos 97 anos, Graham é considerado o maior evangelista de todos os tempos. Ele continua ativo no ministério, escrevendo artigos e livros, além de colaborar com a Associação Evangelística Billy Graham, fundada por ele, mas atualmente liderada pelo seu filho mais velho, Franklin.
E foi o próprio Franklin que usou o Facebook para comunicar a reação de seu pai: “Não faço nada por mim, é tudo para o Senhor Jesus Cristo'”
Desde meados da década de 1990 Graham sofre com o mal de Parkinson. No mês passado, Franklin falou sobre a saúde de seu pai: “Mesmo que ele não seja mais capaz de pregar, sua mente ainda está clara … O desejo dele ainda é falar ao mundo sobre o amor de Deus por eles e como Deus enviou o Seu Filho, Jesus Cristo do céu à terra para tirar os pecados de toda a humanidade na cruz, morrer e ressuscitar no terceiro dia. O desejo do meu pai é que todos os homens e mulheres em todos os lugares venham a conhecer Jesus Cristo como seu Salvador pessoal e o sigam como seu Senhor”.
Convertido aos 15 anos, Billy Graham desde então vem pregando o evangelho de Jesus. Suas cruzadas percorreram o mundo todo.  Em 2013, pregou na televisão seu último sermão como parte da campanha mundial “Minha esperança”.  Em setembro de 2015, lançou seu livro mais recente, Where I Am: Heaven, Eternity, and Our Life Beyond [Onde Estou: Céu, Eternidade, e Nossa Vida no Além] ainda inédito em português. Com informações de Christian Post