CURTA NOSSA PÁGINA !!!

Faça parte de nossas redes sociais e nosso canal no youtube.

Joyce Meyer comenta abusos na infância: "Meu pai me estuprou umas 200 vezes"

A renomada autora e palestrante cristã, Joyce Meyer revelou mais detalhes sobre os abusos sexuais que ela sofreu nas mãos de seu próprio pai desde a infância, compartilhando que ela foi estuprada pelo menos 200 vezes.

Em uma entrevista postada em seu site oficial, na última segunda-feira (25), Meyer admitiu que algumas das coisas que seu pai fez são muito pesadas para revelar ao público, mas disse que ela está compartilhando seu testemunho, com o objetivo de inspirar outras pessoas e dar-lhes a esperança de que a recuperação e a cura através são possíveis pelas mãos de Deus.

Embora Meyer tenha falado outras vezes sobre os abusos sexuais que ela sofreu quando criança, nesta entrevista mais recente, ela disse que usar o termo "abuso sexual" já não era mais suficiente e a verdade é que o seu pai a estuprou.

"Ele não me forçou fisicamente, mas através de mentiras, manipulação, implantação do medo e ameaças, eu ainda fui forçada", disse ela. "Meu pai me estuprou, inúmeras vezes, pelo menos 200 vezes".

Em um sermão, a escritora cristã detalhou as numerosas ocasiões e táticas que seu pai usara, durante sua infância para abusar dela - como quando sua mãe a ia às compras - ou quando ele a levava para a natação.

"Não havia nenhum lugar que eu sempre me sentisse segura, enquanto estava crescendo", disse ela.

Meyer revelou que seu pai também chegou a abusar de outras meninas.

"Ele queria que eu trouxesse meninas da escola para casa, para que ele pudesse abusar deles", disse ela.

Ela também revelou que seu pai abusou sexualmente da filha de um vizinho da família na época.

"Eu estava com vergonha dos meus pais", Meyer revelou, notando seu constrangimento como criança, devido ao que ela sofreu e pelo o que seu pai chegou a fazer também com outras meninas.

"O abuso sexual é tão vergonhoso que ninguém fala sobre isso. Ninguém sabe como falar sobre isso", Meyer afirmou, acrescentando que ela estava com muito medo de contar a alguém sobre a forma como ela foi maltratada durante sua infância.

A escritora também lembrou que ela vivia em uma "atmosfera controlada", onde seu pai a impedia de fazer qualquer atividades após a escola, inclusive receber um vestido ou um anel de formatura.

"Mesmo em bons dias, a atmosfera na qual vivíamos era super carregada com medo, porque eu nunca sabia o que poderia acontecer", acrescentou.

Além disso, ela foi forçada a fingir que era alguém que de fato ela não era, enquanto seu pai lhe dava materiais pornográficos para olhar, e perguntar-lhe como ela se sentia com aquilo.

"Para mim, ter que fingir que eu gostava de algo que eu desprezava, eu acho que foi uma das coisas mais prejudiciais", disse ela.

Restauração
Meyer compartilhou que parte da razão pela qual ela está falando tão abertamente sobre isso agora em seu testemunho é porque ela se sente grata pela libertação e restauração que Deus operou em sua vida, permitindo que ela não finja mais que "nada aconteceu".

"Literalmente, o que ele fez foi me estuprar, a cada semana, pelo menos uma vez por semana. Até eu completar 18 anos, meu pai, em quem eu deveria confiar, que deveria me manter segura, me estuprou pelo menos de 200 vezes", disse ela.

Apesar de tanto sofirmento, Meyer disse que ama sua vida agora, observando que ela tem quatro filhos crescidos com o marido, Dave, incluindo 10 netos.

"Como isso pode ter acontecido comigo, e eu estando aqui hoje, se Deus não estiver agindo?", ela perguntou à platéia.

"Eu quero que as pessoas saibam como Deus é bom, e que sua luta vale a pena, a jornada vale a pena. Não desista", disse enconrajando seus ouvintes.

"Minha teologia passou por uma peneira", diz Darlene Zschech após vitória contra o câncer

Das dificuldades, batalhas e incertezas da vida, sem dúvidas, a luta contra o câncer - de qualquer tipo - pode ser listada como um bom exemplo de provação. Recentemente, a líder de louvor e compositora Darlene Zschech compartilhou mais de seu testemunho sobre a vitória contra  a enfermidade e afirmou que é essencial manter o pensamento e a fé firmes em Deus.

Segundo seu relato, quando ela foi diagnosticada com câncer de mama em 11 de Dezembro de 2013, foi exatamente isso o que Darlene decidiu fazer: confiar em Deus. Com isso, a ex-líder do Ministério de Louvor Hillsong sentiu-se "protegida", em meio a toda a sua dor.

"O câncer de mama marcou um novo nível de sofrimento profundo. Minha teologia passou por uma peneira. Eu tive que me debruçar sobre toda Escritura que conhecia como verdade sobre a providência de Deus e entender que não era desejo de Deus que eu ou minha família estivéssemos sofrendo. Ver seus filhos na dor, dói nEle também", escreveu ela em um artigo para o site Charisma News.

"Confiar plenamente em Deus durante os tempos de imensa dor é um dos grandes presentes de uma provação. Você encontra o belo Espírito Santo lá, não importa o quão quebrado, o quão decepcionado você esteja ou o quão desesperada você se sinta".

Zschech celebra sua vitória contra o câncer, mas também afirma que seu coração ainda dói pelas pessoas de todo o mundo que estão enfrentando a perseguição, enfermidades e a pobreza. Ela espera que todas essas pessoas consigam olhar para o Redentor "para que sejam guiados e sintam o amor de Deus", como ela sentiu.

Autora do best-seller "A Adoração Muda Tudo: Experimente a Presença de Deus em Cada Momento da Vida", Darlene acrescenta que há pessoas más neste mundo que vão fazer de tudo para diminuir o valor e o potencial dos cristãos, buscando nada mais do que ver os filhos de Deus vivem com medo, intimidados e oprimidos.

"Por isso é fundamental lembrar-se da obra completa da cruz, quando o mal tenta pressionar de todos os lados", explica ela. "Seja qual for a situação em que se encontra, saiba disso: Deus está presente. Adore-O, reconhecendo Sua grandeza, mesmo em momentos de grande dor, e você vai descobrir que Sua graça e poder são suficientes".

Curado de doença mental ganha centenas para Cristo

O poder curador de Jesus chegou até as áreas mais remotas da Índia. A missão Christian Aid, relata que um homem que viveu anos com uma doença mental está testemunhando seu milagre e atraindo centenas de pessoas para Cristo.

Conhecido apenas como Pratik, ele vivia em Chhattisgarh, uma aldeia remota, onde a maioria das pessoas pratica o hinduísmo. Quando o missionário Siddharth chegou até a região, trazia uma mensagem que deixou muitos indianos curiosos. Quem era esse novo deus, de quem eles nunca ouviram falar?

O missionário faz um trabalho constante em lugares no interior de Índia onde não há igrejas cristãs. Ao chegar na região em que vive a etnia Gond, Siddharth viu que eles eram adoradores de ídolos e da natureza. Ensinando que o poder do Espírito Santo mudava vidas, ele e sua equipe de missionários locais anunciou o Evangelho, ensinando que as pessoas podiam ser curadas e restauradas.

Um amigo de Pratik se converteu e foi busca-lo numa aldeia vizinha. Apesar de seus problemas mentais, Pratik decidiu que precisava das orações de Siddharth. Devido a sua doença, ele alterna períodos em que está lúcido com épocas quando anda errante pelas ruas, falando e fazendo coisas sem sentido. Ficava dias no meio da selva e sua família já havia desistido.

Quando ouviu que um homem vindo de longe estava falando sobre um deus que curava, Pratik andou cerca de 50 quilômetros em meia a trilhas na mata fechada até o local onde os missionários realizavam os cultos.

Logo que chegou à igreja, os membros o cercaram e oraram por ele. “O Senhor o libertou de uma doença mental, ele foi liberto e voltou ao normal!”, comemora Siddharth. A partir daquele dia, Pratik começou a contar a todos sobre sua fé em Jesus como Senhor e Salvador.

Dentro de pouco tempo, ele estava dando testemunhos em todas as aldeias da região. “Ele pregava o Evangelho, dizendo o que o Senhor fez em sua vida”, ressalta o pastor. Cerca de seis meses depois, havia cinco congregações em cinco aldeias iniciadas por causa do testemunho de vida de Pratik. Em Korwa, uma cidade no estado de Uttar Pradesh, o pastor fez mais de 50 batismos em uma única cruzada ao lado de Pratik.

Ao todo, a equipe de missionários, que agora tem um novo membro, alcançou mais de 4000 pessoas que nunca haviam ouvido o evangelho. Foram visitadas 135 aldeias, onde vivem pessoas das etnias Korwa, Gond, Bhuiya e Khadia.

A missão Christian Aid contabiliza 1196 decisões por Cristo. Até o momento, já se envolveram na plantação de muitas igrejas, mas não pretendem parar pois há muitas aldeias sem a presença de cristãos.

Amuleto da época dos faraós é achado em Jerusalém

Uma menina de 12 anos participava com sua família de um projeto no Monte do Templo, em Jerusalém, quando encontrou um amuleto da época dos faraós.

Neshama Spielman encontrou um objeto pequeno com o nome do faraó Tutmés III, que teria mais de 3.200 anos.

A garota não imaginaria que ao participar das festividades da Páscoa judia encontraria uma peça de antiguidade com tanto valor histórico.

A alegria de Spielman foi tanta que ela afirmou que “festejar a Páscoa neste ano vai ter um significado especial para ela”.

O faraó Tutmés III, também chamado de Tutmósis III, viveu entre os anos 1481 a.C e 1425 a.C. Filho de Tutmés II, o faraó governou o Egito por cerca de 50 anos, tempo não preciso, pois com a morte de seu pai sua tia e madrasta, Hatchepsut, assumiu o trono até que ele alcançasse a maioridade.

Pastores são enterrados vivos na China

Um casal pastoral da Igreja Beitou acabou sendo enterrado vivo na cidade de Zhumadian, na província de Henan, região central da China. Eles estavam protestando contra a demolição de sua igreja, que foi condenada pelo Partido Comunista que comanda o país. A denúncia é da organização China Aid.

Segundo testemunhas, as autoridades ordenaram a destruição do templo onde o pastor Li Jiangong e sua esposa, Ding Cuimei, reuniam sua congregação. Em negociações políticas, o terreno onde estava a igreja foi entregue a um investidor local.

Escavadeiras e tratores de esteira se dirigiam para o prédio enquanto Li e Ding tentavam impedir seu avanço. Eles ficaram de frente às máquinas, mas foram propositadamente jogados em uma vala. Em seguida, uma escavadora cobriu seus corpos com terra.

O relatório da China Aid afirma: “Pedindo ajuda, Li conseguiu cavar e fugir, mas Ding morreu sufocada, antes que pudessem resgatá-la”. Foi divulgado que os dois oficiais responsáveis pelo crime estavam detidos e responderiam pelo ação.

Ainda segundo a organização, um dos membros da equipe de demolição deu a ordem claramente: “Enterre-os vivos para mim. Assumo a responsabilidade por suas vidas”. Bob Fu, que é o presidente da China Aid, lamentou o crime brutal: “Atropelar e enterrar viva Ding Cuimei, uma mulher cristã pacífica e fiel, foi um assassinato cruel”. Ele voltou a pedir que os governos mundiais condenem a falta de liberdade religiosa em solo chinês.

A demolição de templos é apenas parte da grande onda anticristã que tomou a China nos últimos anos. Já foi anunciada que existe uma tentativa de acabar com os cristãos no país.

Comandada pelo Partido Comunista, a prisão de pastores  e a remoção forçada de cruzes dos locais de culto passaram a ser rotineiras. Contudo, esse é o primeiro caso de morte pública registrada.

Crescimento em meio a perseguição

Não se sabe o número oficial de cristãos no país, mas de acordo com estudos existem hoje cerca de 100 milhões de cristãos no país mais populoso do mundo. Alguns estudiosos acreditam que o número pode ser 3 vezes maior. Para efeitos de comparação, o Partido Comunista Chinês possui 86,7 milhões de membros, sendo que a maioria é comunista só de nome.

Isso pode ser visto como um fracasso do regime, que desde a revolução na década de 1940, defende que o povo chinês não deveria acreditar em nenhum deus.

Apesar das dificuldades e da perseguição, diversas lideranças chinesas realizaram uma conferência, onde foi lançado um projeto impensável anos atrás: enviar 20.000 missionários chineses para diversos países do mundo até 2030. O pastor Daniel Jin, diretor da revista China Mission Today desafiou a Igreja chinesa a “trabalhar e orar” para cumprirem esses desafios missionários nos próximos anos. Com informações de Gospel Herald

Família de muçulmanos se converte após cura da mãe

Uma família inteira de muçulmanos se converteu por conta de uma experiência pessoal que a mãe daquela casa teve com Jesus.

A história foi contada pelo Christian Today que preservou a localização da família e seus nomes por motivos de segurança.

Quem testemunha a conversão é Fadila, nome fictício dado a uma das filhas da pessoa curada.

Segundo ela, sua mãe estava muito doente e com o quadro piorando a cada dia. Os médicos não conseguiam diagnosticar e iniciar um tratamento eficaz para curá-la, foi quando um dos irmãos de Fadila resolveu recorrer à fé.

Ele apareceu em casa com dois “homens de Deus” que tinham o dom da cura e eles oraram pela enferma. “Se eles orarem por nossa mãe”, disse o menino com fé, “ela pode ser curada”.

Ao perceberem que a oração era diferente da oração muçulmana, os membros da família ficaram apreensivos. “Ele estava usando o nome de Jesus em suas orações e em nome de Jesus ele orou para que minha mãe fosse curada”.

Ao notar que eles eram cristãos, a enferma ficou com raiva e ordenou que os homens fossem embora. Ela que não conseguia se mover, percebeu que já conseguira levantar da cama quando tentou expulsar os pastores.

“Nós a ajudamos e ela se sentou. Em seguida, ficou em pé”, testemunha Fadila.

A mulher revelou que viu Jesus Cristo tocando seu corpo e ele estava com mãos marcadas por cicatrizes. Ela viu uma luz que cobriu todo o seu corpo e assim ela sentiu a cura total.

Foi então que a enferma resolveu pedir perdão aos pastores.

Naquele momento a família resolveu confessar o nome de Jesus, e um dos irmãos de Fadila que era alcoólatra também recebeu uma oração e resolveu aceitar Jesus como salvador.

Os pastores que estiveram nessa casa fazem parte do ministério Bibles4mideast, eles puderam explicar a palavra de Deus aos membros daquela família e a salvação os alcançou.

O pai que não estava em casa no momento da oração ficou sabendo da cura e da conversão dos filhos e também aceitou a Cristo. Mas a segunda esposa do homem não aceitou a notícia e tentou denunciá-los às autoridades.

Agora a família participa de reuniões secretas de oração e adoração que são realizadas pelo ministério Bibles4mideast.

MP proíbe Pai Nosso em escolas de Campo Grande

As escolas municipais de Campo Grande que normalmente iniciavam as aulas orando o Pai Nosso, não poderão mais seguir essa rotina por recomendação do Ministério Público Estadual em Mato Grosso do Sul (MPE-MS).

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, o MP, através da Promotoria de Direitos Humanos, ameaçou entrar com ação civil pública para impedir que as orações continuem acontecendo, assim como as demais manifestações de cunho religioso.

“A recomendação tem dois fundamentos: pela Constituição Federal o estado é laico, ou seja, um estado que não tem religião e o segundo é pela liberdade de religião. Não foi uma decisão imposta às escolas católicas ou evangélicas, mas uma decisão para escolas públicas que são pagas pelos impostos de todos”, comentou o promotor de Justiça Luciano Loubet em entrevista ao Bom Dia MS, da Rede Globo.

Já para o promotor da Infância, Juventude e Educação, Sérgio Harfouche, resolveu contestar a recomendação do MPE dizendo que os alunos que não quiserem participar, podem recusar orar o Pai Nosso.

“Se é interesse de alguém não participar, que assim o faça. Mas, eu tenho uma esmagadora maioria de pais nas escolas querendo que seus filhos tenham essa liberdade de expressão”, disse.

Para ele a oração não obriga os alunos a crerem em uma determinada religião. “Ninguém vai ser obrigado a crer ou não crer. Ninguém vai ser beneficiado por crer e nem punido por não crer. Impedir que as pessoas, assim tenham, como se tradicionalmente se tem na escola, me parece que isso é uma violação maior do que a que se pretende proteger”, afirma.

Alguns pais de alunos não gostaram da decisão, para a agente de saúde Elaine Martinez Brito, a oração não deve ser proibida por oferecer uma palavra boa para as crianças.  “A oração não deve ser proibida”, diz Elaine ao G1.

50 novas traduções da Bíblia são concluídas

No ano passado, equipes de missionários ligados às Sociedades Bíblicas Unidas terminaram a tradução da Bíblia para 50 idiomas diferentes. A notícia veiculada pelo Breaking Christian News mostra que essas línguas são faladas por cerca de 160 milhões de pessoas. Ao mesmo tempo que terminaram o trabalho das novas traduções, 11 povos receberam a primeira Bíblia completa em sua língua e seis receberam o Novo Testamento.

No final de 2015, a Bíblia completa estava disponível em 563 línguas, que são faladas por um total de 5,1 bilhão de pessoas. Estima-se que existam 281 milhões de pessoas com acesso a apenas algumas partes da Bíblia e cerca de 500 milhões ainda não possuem uma tradução das Escrituras em suas línguas nativas.

Para efeitos de comparação, existem mais de 400 línguas de sinais no mundo, usados pelos surdos para se comunicar. Contudo, o Novo Testamento está disponível apenas para a língua de sinais faladas nos Estados Unidos. Existem equipes ligadas às Sociedades Bíblicas traduzindo porções da Bíblia em outras línguas de sinais, inclusive no Brasil.

Há um esforço para ampliar a disponibilidade da Bíblia em Braille. No México, o trabalho está perto da conclusão. No Sri Lanka e na Holanda foi terminado, totalizando 45 línguas disponíveis.

Ameaça do Estado Islâmico ao Brasil é real, segundo Agência Brasileira de Inteligência


Maxime em um dos vídeos publicados pelo Estado Islâmico.
Maxime em um dos vídeos publicados pelo Estado Islâmico.

Uma ameaça terrorista postada em novembro do ano passado (2015), por um usuário que se apresenta como 'Maxime Hauchard', de 22 anos, teria de fato uma ligação direta com o Estado Islâmico. A informação foi confirmada pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), que tem monitorado postagens deste perfil, devido à aproximação das Olimpíadas no Rio de Janeiro.

"Brasil, vocês são nosso próximo alvo. Podemos atacar esse país de m***", diz a postagem do usuário, que segundo a Abin, seria o "garoto propaganda" do Estado Islâmico.

A ameaça foi postada em novembro do ano passado, uma semana após os atentados realizados em Paris, que deixaram 129 mortos e dezenas de feridos. Na última terça-feira (12), durante uma Feira Internacional de Segurança, que está sendo realizada no Rio de Janeiro, a Abin confirmou que o perfil realmente é do terrorista francês que apareceu em alguns vídeos do Estado Islâmico (EI), decapitando prisioneiros sírios.

A conta de Maxime na rede social do terrorista já está suspensa.

“Monitoramos e percebemos que o perfil realmente era do Maxime, um dos líderes do Estado Islâmico. A partir do momento da postagem houve uma maior intensidade nos discursos de agressividade dos autoproclamados seguidores desse grupo terrorista no Brasil”, afirmou Luiz Alberto Sallaberry, diretor de Contraterrorismo da Agência.

Segundo Luiz Alberto, a Abin descobriu que o jovem terrorista tem uma origem relativamente 'pacata', do interior da França e se juntou ao grupo terrorista com 18 anos de idade.

“Maxime é uma espécie de garoto-propaganda do Estado Islâmico. Saiu de um vilarejo no interior da França para a Síria, aos 18 anos, onde se integrou ao terrorismo. É o segundo na linha de comando de decapitadores e gosta de dizer que estar no grupo “é como estar no Éden”, informou o diretor durante uma palestra para especialistas em Segurança.

Segundo o palestrante, já existe no Brasil um número crescente de pessoas que teriam feito um juramento de fidelidade ao Estado Islâmico.

“Quando uma pessoa faz o juramento ao califado e se torna autoproclamada, ela está disposta a cometer qualquer atentado violento em nome do grupo. A ordem não precisa ser presencial, pode ser via internet”, destacou.

Lobos Solitários
A possibilidade da ação de "Lobos Solitários" - na qual o Estado Islâmico faz uso de 'terroristas independentes' para realizar seus ataques - tem preocupado a Abin com relação ao período das Olimpíadas no Rio de Janeiro. Segundo a Agência, o nível da ameaça à delegação brasileira é 'alto', enquanto o nível de ameaça a delegações como Canadá e Estados Unidos é 'muito alto'.

O monitoramento dos perfis / páginas de mídiias sociais é uma das atividades que tem recebido bastante atenção e investimento por parte da Abin no combate ao terrorismo. Por razões de segurança e êxitoda operação, o diretor da divisão antiterrorismo da Agência não divulgou o número de pessoas que declararam fidelidade ao Estado Islâmico, nem as que estão sendo monitoradas.

Investigação
Ao final de março, a Agência Brasileira de Inteligência também expôs alguns resultados de suas investigações sobre ameaças terroristas cibernéticas contra os Jogos Olímpicos na CPI da Câmara.

O trabalho de análise desenvolvido pela ABIN mostra que, pelo histórico de 2013 e de 2014, haverá uma curva de crescimento na incidência de ataques à medida que a data de início das Olimpíadas se aproxima.

“Percebe-se a preocupação dos parlamentares com a segurança dos Jogos Olímpicos Rio 2016, em frente dos últimos ataques terroristas ocorridos na França e na Bélgica”, justificou a presidente da CPI, deputada Mariana Carvalho (PSDB/RO).

De abertas abertas
Apesar da onda de ataques terroristas que estão chocando o mundo e fazendo com que os países estudem formas cada vez mais eficientes de controlar suas fronteiras, a presidente da República do Brasil, Dilma Rousseff decidiu sancionar a lei que isenta os estrangeiros da necessidade de obterem visto para sua entrada no país, durante o período das Olimpíadasde 2016.

Segundo o governo federal, o objetivo desta decisão é atrair ainda mais visitantes, aquecendo assim a economia do país, mas conforme especialistas outras preocupações relacionadas à segurança do evento podem aumentar - em especial após os ataques realizados por militantes do Estado Islâmico, em Paris, no dia 13 de novembro.

Alerta antecipado
Já em março de 2015, o deputado federal Roberto de Lucena (PV - SP) se antecipou em condenar - em entrevista ao GospelPrime - a postura do governo federal diante das ações terroristas praticadas pelo Estado Islâmico no exterior e também da possibilidade de ataques no Brasil.

"A simples perspectiva de que o Estado Islâmico esteja se articulando para recrutar jovens brasileiros chega a ser dramática. Já há dois anos vinha, no Congresso Nacional, chamando a atenção para a movimentação de terroristas em nosso território a partir de uma série de reportagens do Leonardo Coutinho (Revista Veja) e outros documentos aos quais tive acesso", alertou.

"Eu me desespero diante da falta de energia do Brasil em condenar o terrorismo. Eu me angustio diante do fato de que seguirmos mantendo boas relações diplomáticas e comerciais com países que dão sustentação a essas práticas. Tenho algumas propostas legislativas que tratam do assunto e espero mesmo que o Deputado Eduardo Cunha faça esse grande serviço ao Brasil e ao mundo moderno, de pautar o tema e liderar na Câmara um movimento que produza a legislação necessária e coloque ainda o assunto na agenda do Executivo". 

Pornografia é ocultismo e não só imoralidade, diz pastor

O presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul, Russell Moore, comparou a pornografia com o ocultismo em um artigo postado em seu site no começo deste mês.

No texto intitulado “Why Porn Kills Sex” (Porque a pornografia mata o sexo) ele afirma que o ato é mais do que imoralidade, é algo provocado por espíritos.

Na visão do pastor, a pornografia interrompe a ligação que Deus criou para unir um homem com sua mulher. “Devemos perguntar por que Jesus nos advertiu que a luxúria é errada. Isto não é porque Deus tem vergonha do sexo. Deus criou a sexualidade humana não para isolar, mas para conectar”, escreveu Moore.

A pessoa adepta da pornografia acaba interrompendo essa ligação que seria exclusiva entre o casal. “A pornografia interrompe este respeito, transformando o que é destinado à intimidade e amor encarnado na solidão da masturbação. A pornografia oferece a emoção psíquica e liberação biológica destinada a comunhão no contexto da liberdade de conexão com o outro. Ela não pode cumprir essa promessa”, explica.

Moore lembra que a pornografia traz vergonha para o casamento e mata a sexualidade do casal. “A pornografia mata a sexualidade porque a pornografia não é apenas sobre sexo e porque até mesmo o sexo não é apenas sobre sexo”.

Citando a Palavra de Deus, o pastor revela que a pornografia pode ser também considerada ocultismo. “Na antiga cidade de Corinto, o aviso foi dado sobre prostitutas nos templos pagãos da cidade. As prostitutas foram pagas para a atividade sexual, desligada da aliança. Eles faziam parte de um sistema de culto que atribuía poderes quase místicos ao orgasmo. Como é que qualquer um pode ser diferente da indústria de pornografia de hoje?”

As bases utilizadas por ele são 1 Cor. 6: 15-19 que fazem com que ele afirme que a imoralidade sexual é a profanação do templo do Espírito Santo. ” O cristão professo, não importa quão insignificante ele ou ela pode se sentir, é um alvo de interesse. A imoralidade sexual parece apresentar-se aleatoriamente quando, na verdade, é parte de uma expedição de caça cuidadosamente orquestrada (Prov. 7: 32-33)”, ensina.

Os pastores americanos estão debatendo o tema pornografia, tanto é que no dia 7 de abril um evento foi marcado na Carolina do Norte para discutir o impacto social, psicológico, neurológico e espiritual da pornografia.

E para quem achava que esse problema não estava nas igrejas, o estudo do Grupo Barna recentemente mostrou que 21% dos pastores de jovens e 14/5 dos pastores americanos lutam contra o vício de conteúdo pornográfico. Ainda segundo essa pesquisa, 67% dos homens e 49% das mulheres jovens consideram aceitável ver pornografia. Com informações Christian Post