CURTA NOSSA PÁGINA !!!

Faça parte de nossas redes sociais e nosso canal no youtube.

Central Gospel lança a ‘Bíblia da Turma do Cristãozinho'; confira!

O novo lançamento da Editora Central Gospel é um verdadeiro tesouro para as crianças: a Bíblia da Turma do Cristãozinho. O livro é um grande achado que vai levar os pequenos a aprenderem mais da Palavra de Deus. Confira abaixo o interior da Bíblia.

Para crianças de 5 anos até 10 anos, o produto se destaca  pela linguagem das mensagens, os desenhos e as cores que ficam ainda mais atraentes com os comentários da Turma do Cristãozinho em cada página, uma turminha para lá de radical, que não troca Jesus por nada deste mundo.

Sobre o autor


Bira Uchoâ é ilustrador e desenhista, autor e criador da Turma do Cristãozinho. Dentre seu portfólio de produtos infantis estão: DVDs musicais com Karaokê volume 1 e volume 2, e os livros para colorir da Turma do Cristãozinho volume 1 e volume 2, todos lançados pela Editora Central Gospel.

Não perca tempo e adquira já o lançamento a Bíblia da Turma do Cristãozinho. Ligue para (21) 2187-7000, ou acesse o site da Central Gospel!

Confira abaixo, com exclusividade algumas páginas da nova Bíblia da Turma do Cristãozinho!
Imagem: Divulgação Editora Central Gospel



Billy Graham revela “o grande mal do mundo”

O maior problema que o mundo enfrenta hoje não é o Estado Islâmico, nem o aborto e tampouco a agenda gay. Para Billy Graham, a raiz por trás de todos é a mesma: o coração humano.

Em um texto publicado no seu site pessoal, o renomado evangelista respondeu à pergunta de um leitor que desejava saber a opinião de Graham sobre “qual a maior ameaça do mundo na atualidade”.

“Nós discutimos sobre isso em nossa classe bíblica na igreja, mas não conseguimos chegar a uma conclusão”, disse o internauta. Fiel ao estilo que marcou sua trajetória, Billy Graham, 93 anos, citou vários textos bíblicos para afirmar: “O maior problema que o mundo enfrenta hoje é o mesmo que sempre foi: o coração humano. A Bíblia diz sem rodeios: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? (Jeremias 17: 9)”.

O evangelista fez então uma proposta: “Pense por um minuto como seria caso pudéssemos nos livrar de nosso orgulho e egoísmo. Teríamos um mundo perfeito. Poderíamos viver em harmonia uns com os outros, e não haveria mais conflitos ou guerras. O ódio e a inveja iriam acabar. Viveríamos motivados por amor, compaixão e respeito mútuo”.

Assegurou que, como isso não acontece fica claro que ainda estamos longe de viver “o mundo perfeito que a Bíblia promete: ‘uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear (Isaías 2:4)’”.

Famoso por usar o bordão “a Bíblia diz” em suas cruzadas, Billy diz que as advertências todas estão nas Escrituras. “Terrorismo, violência, crime, drogas, corrupção, relações quebradas, a lista é quase infinita”, asseverou. Emendou falando sobre o coração, numa citação de Tiago 4: 1: “De onde vêm as guerras e contendas que há entre vocês? Não vêm das paixões que guerreiam dentro de vocês?”.

Do alto de sua experiência de décadas no ministério, faz uma exortação em tom pastoral, lembrando que “Nossa maior necessidade hoje é o que sempre foi: se voltar para Deus para o perdão e uma nova vida que precisamos”. Finalizou dizendo que isso só é possível porque Jesus Cristo deu a Sua vida por nós”. Ele entende que a ideia de paz plena no planeta Terra é ilusória, mas a promessa de Jesus é verdadeira para os seus: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou” (João 14:27).

"É somente pela graça que estou viva", diz ex-lésbica que teve vida transformada

Venus L. Burton, também conhecida como a ex-rapper Booski Love, já passou por grandes momentos de perigo, desejo e fama em Los Angeles (EUA). Ela era destaque entre as estrelas da cena rap, fazendo shows nas noites americanas.

Em 2010, no auge de sua carreira, Booski Love experimentou um momento de clareza. Ela despertou do transe que lhe deixava aprisionada e olhou diretamente para a eternidade, onde viu seu verdadeiro amor a esperando de braços abertos — Jesus Cristo.

Booski percebeu que, apesar de ter sido criada em um lar cristão por sua mãe solteira, e ter ido tão longe em sua vida como lésbica, Jesus ainda esperava por ela.

"Booski Love morreu naquele dia e eu me tornei uma verdadeira seguidora de Jesus. Agora estou trabalhando ao lado de minha mãe [Dr. VickiLee] compartilhando as Boas Novas para que todos possam ouvir", diz Burton.

Ela escreveu um livro sobre sua vida chamado “S.T.U.D - A Shared Testimony of Unashamed Deliverance” (Um Testemunho Sobre Minha Libertação, em tradução livre). O livro foi transformado em um longa-metragem de Hollywood e deverá ser lançado em breve.

Burton e sua mãe falam abertamente sobre a extraordinária reviravolta em suas vidas e como Venus se sentia isolada e confusa por não ter um pai por perto. Tentando encontrar uma realização, Burton entrou em um estilo de vida alternativo e teve uma série de namoradas lésbicas, passando a se vestir, até mesmo, como um homem.

Sua mãe disse que ela orou por sua filha durante 20 anos. Durante esse período elas estavam afastadas. Mesmo quando sua filha se desviou para um estilo de vida alternativo, ela nunca desistiu de "crer em um milagre de Deus”.

"Eu cresci em uma única casa", conta Burton. "Eu lidei com um monte de problemas de abandono por não ter uma figura paterna. Durante meus anos do ensino médio em Norwalk [parte de Los Angeles], eu era muito rebelde e procurava o amor em todos os lugares errados. Eu estava lidando com a pressão dos colegas e com o fato de não ter um pai, fiquei com raiva”, relatou.

"Ainda adolescente, eu entrei nas drogas e no álcool e, em seguida, assim que saí da escola, eu entrei na vida lésbica”, disse ela. Burton ainda vivia em casa, então fazia essas coisas em segredo, mas logo se tornou cada vez mais difícil esconder seu comportamento de sua mãe e irmão.

"A primeira garota que eu beijei foi a namorada do meu irmão", diz Burton. "Isso trouxe muita confusão à família. Eu não sabia que isso iria destruir a família, mas Deus reconciliou e fez com que a gente se unisse novamente".

Sua mãe conta que orava sem parar. "Sempre tivemos uma comunicação, mas a principal coisa que fiz foi orar muito", disse ela. "Eu realizava reuniões de oração toda a noite, toda sexta à noite, intercedendo para minha filha e meu filho”, contou.

Hoje, Burton ressalta que se ela está viva, é pela graça de Deus. “É somente por meio da graça de Deus que eu ainda estou viva hoje", finalizou.

Cristãos são presos no Irã por tomarem a ceia

O Conselho Nacional de Resistência do Irã (NCRI) está denunciando a prisão de um grupo de 11 pessoas que estavam realizando uma reunião ‘não autorizada’ em uma casa na cidade de Isfahan, região central do país.

Agentes do Ministério de Segurança e Inteligência invadiram o local armados com pistolas no momento em que era servida a Ceia do Senhor. De acordo com testemunhas, foram confiscadas Bíblias e toda literatura cristã da pequena igreja doméstica.

Não há informações do paradeiro dos cristãos presos, e apenas 10 foram identificados: Amin Ahanin, Mohammad Alyasi, Fatemeh Amini, Edmund Khachaturian, Mohammad Malek Khatai, Mohsen Khoobyari, Arash Qodsi, Hamed Sepidkar, Samaneh Shahbazi-Far e Maryam Zonubi. Não se sabe se a décima primeira pessoa também foi presa. As autoridades iranianas não forneceram nenhuma informação sobre a situação deles.

A casa, que funcionava como uma igreja subterrânea, está fechada. Há o temor que todos os presos possam ser executados. A conversão ao cristianismo é proibida no país e passível da pena de morte.

Diversos relatórios do Secretário-Geral das Nações Unidas, do relator especial da ONU sobre a situação dos direitos humanos no Irã e do Departamento de Estado EUA, indicam que a repressão dos cristãos intensificou-se durante a presidência de Hassan Rohani, apesar da pressão de órgãos internacionais.

Em geral, as autoridades fazem acusações de cunho político contra os cristãos, numa associação na tentativa de se justificar os abusos nas cortes internacionais. As denúncias mais comuns incluem “ação contra a segurança nacional”, “contato com inimigo estrangeiro ou grupo antiregime” e “conspiração com inimigos estrangeiros”.

Maior ação deste ano

A prisão dos 11 cristãos foi a maior do tipo deste ano. Embora a repressão seja comum, geralmente apenas os pastores são presos. A última grande operação anunciada no país foi em 25 de dezembro do ano passado, quando nove cristãos foram presos numa igreja doméstica na cidade de Shiraz, na região sul do país.

Eles estavam reunidos para celebrar o Natal quando policiais invadiram o local, levaram todos os presentes e confiscaram todos os seus itens pessoais. Os horrores a que são submetidos os cristãos presos no Irã ficaram mundialmente conhecidos pelos relatórios do pastor Saeed Abedini, que ficou mais de três anos atrás das grades e só foi liberto pela intervenção do governo dos EUA.
Com informações de Iran News

Vereador de SP é atacado por defender direitos cristãos

Existe Cristofobia no Brasil? O vereador Eduardo Tuma (PSDB), eleito pela capital paulista acredita que sim. Ele propôs a criação de uma lei que estabelece o “Dia de Combate à Cristofobia”, a ser lembrado em 25 de dezembro, dia em que tradicionalmente se comemora o nascimento de Jesus Cristo. Com o apoio da maioria dos edis da Câmara Municipal de São Paulo, a proposta foi aprovada em junho.

Contudo, o prefeito Fernando Haddad (PT) não sancionou a lei, alegando que ela estimularia “a separação entre religiões cristãs e outras religiões, além da população LGBT, prestando desserviço aos esforços que o conjunto do Município de São Paulo tem feito em prol da convivência pacífica com a pluralidade democrática”.

Defendendo a população LGBT, Haddad afirmou que os cristãos são maioria no país e que o PL apresentado por Tuma demonstra “intenção de provocar os defensores dos direitos das minorias”. No seu entendimento, a proposta vai contra o interesse público que preza pela “construção de uma sociedade livre, justa e solidária”.

O vereador Tuma, que é evangélico e já afirmou que pretende ser pastor no futuro, discorda da postura do prefeito. Ele pretende reapresentar o texto à Câmara, por entender que ele não fere a Constituição.

Procurado pelo Gospel Prime, ele afirma que “ao contrário do que diz o Haddad, a intenção dessa lei é pacífica e visa garantir a liberdade de expressão aos cristãos”. Tuma diz que luta pelo fim da “cultura de ódio” que se propaga na cidade de São Paulo.

Ele cita como exemplo as manifestações durante o desfile da Parada Gay na capital. Lembra que a transexual Viniany Beleboni, usou símbolos do cristianismo por dois anos consecutivos para atacar os cristãos, acusando-os de homofobia. O peessedebista acredita que a prática da homofobia é crime, mas não aceita que digam que todo cristão é homofóbico. “Embora para nós a pratica do homossexualismo seja pecado, aprendemos com Jesus que não devemos julgar. Pelo contrário, devemos amar o próximo”.

O vereador diz que está sofrendo perseguição política. Reclama que grande parte da imprensa o ridicularizou, ignorando um problema real. Conta ainda que Viviany Beleboni invadiu seu gabinete e ameaçou sua secretária.

Além de servir como vereador, Eduardo Tuma é advogado. Portanto, ao contrário do que lhe acusam, não está violando o conceito de Estado laico com sua proposta. Citando várias leis, entre elas a Declaração Internacional dos Direitos Humanos, ele afirma que seu objetivo é ver “todos os cidadãos sendo tratados com o respeito que merecem, incluindo os que professam a fé cristã”.

O político finaliza dizendo que nos últimos anos as minorias ganharam espaço político e considera isso positivo. Mas ele teme que possa haver uma inversão, onde todos que emitem opiniões contrárias ao ‘politicamente correto’ acabam sendo atacados.

“A voz de todos deve ser respeitada, porém a partir do momento que impedimos a voz do outro, perdemos o direito de expandir a nossa. Como cristão e representante do povo, defendo que todos sejam tratados da mesma maneira, mas não posso admitir que comprometam a liberdade de expressão e a liberdade de culto. Amar muitas vezes é falar a verdade e vou continuar fazendo isso”, finaliza.

Campanha espalha Bíblias “esquecidas” em Belém

Alguns locais públicos de Belém (PA) estão sendo usados para uma campanha evangelística que tem “esquecido” Bíblias para que outras pessoas as encontrem.

A proposta da Igreja Quadrangular é espalhar a palavra de Deus pela cidade, incentivando a leitura da Palavra. Quem encontra as Bíblias “perdidas” encontra também um bilhete que diz: “Esta Bíblia não está perdida, é um presente para você. Receba com muito carinho”.

A pastora Luaciane Gaby, explicou ao G1 que ao espalhar as Bíblias pela cidade é possível dar uma injeção de ânimo nas pessoas.

“Para quem anda com o coração aflito ou pensativo com algum problema do nosso dia a dia, a bíblia é realmente o melhor caminho porque ela sara, ela liberta e ela restaura vidas e corações”, diz ela.

Denominações se unem para ajudar comunidades carentes

O projeto Love Movimento uniu voluntários cristãos de diversas igrejas de Belo Horizonte (MG) para realizar um trabalho social no sertão do estado.

Duas aldeias do município de São Romão foram visitadas pelos voluntários: Ribanceira e Coqueiros. Eles levaram várias cestas básicas, kits escolares e roupas para distribuir para as famílias carentes.

Além disso, os cristãos realizaram atividades de lazer com a comunidade e ainda levaram materiais de construção para erguer uma moradia para uma família que mora na região.

Os voluntários aproveitaram a viagem para conhecer as necessidades dos moradores. Em Ribanceira, por exemplo, onde mais de 100 famílias foram visitadas, eles ouviram relatos sobre o déficit de atendimento na área da saúde.

“Quando a gente passa mal, precisa pedir ambulância em São Romão, mas nem sempre vem. Aí a gente tem que pagar 60 reais pra um carro levar, mas nem sempre a gente tem dinheiro”, contou uma moradora como cita uma reportagem da Rede Super.

Já na Aldeia de Coqueiros, os voluntários levaram kits de escovação para as crianças e ensinaram a comunidade como deve ser a higienização dental.

“As crianças não têm muitos dentes, por já terem caído por falta de escovação, e os que ainda restam estão podres. Então, foi mesmo um estado de emergência”, explicou Joyce Melgaço, integrante do Love Movimento.
Love Movimento

A comunidade em Aldeia de Coqueiros vive situação de carência extrema, por isso eles receberam alimentos. Segundo o idealizado do grupo, o engenheiro Raphael Oliveira, visitou a comunidade uma vez e encontrou uma criança que não se alimentava há dois dias.

“Eu conheci o Jeferson, uma criança que não tem o que comer. Pensei: como vou voltar pra casa sabendo que ele passa fome?”, afirmou ele que resolveu criar ações para essas comunidades.

“Depois de começar essas ações, eu nunca mais dormi do mesmo jeito. É impossível”, relatou.

Imagem postada por youtuber para “zoar” cristãos tem efeito contrário

O youtuber PC Siqueira postou uma imagem para criticar a fé cristã em seu Facebook e foi surpreendido pela resposta dada pelos religiosos.

A imagem, compartilhada nas redes para criticar a dependência dos jovens pelas mídias sociais e pelo jogo Pokemon Go, mostra um menino sendo controlado por Jesus (a imagem original mostra as redes sociais ou o jogo) com uma Bíblia nas mãos (que na imagem original mostra um smartphone).

O youtuber não escreveu legenda para a foto, postando uma imagem clara que sugere a alienação das pessoas pela religião.
Posto PC
Como resposta, ele teve que ler mensagens como essa: “Sou cristão e achei interessante essa imagem. Não me ofendeu, mas me fez pensar que realmente eu não sou nada sem Jesus e o melhor é Ele estar me guiando, porque se Ele não me guiar posso ir para um lugar ruim, que meu orgulho me levou. Sobre se curvar diante a palavra de Deus, é o que eu busco fazer”, disse um usuário.

Se o youtuber queria gerar revolta, ele não conseguiu, pois, as mensagens deixadas em sua página mostram o orgulho das pessoas em seguirem a Palavra de Deus e os ensinamentos de Cristo.

“Por incrível que pareça, não me ofendi nem um pouco com essa imagem, porque realmente essa é a minha realidade de vida, faço de Cristo meu vício, e sim, é Ele quem me guia!”, respondeu outra usuária da rede social.

Já o pastor Jackson Jacques foi além: “Que linda imagem! Que essa seja a ilustração da minha vida! Jesus, obrigado por esse post do PC Siqueira”.

Cristão é morto enquanto pregava no Egito

Militantes do Estado Islâmico (EI) executaram um líder cristão enquanto ele pregava na cidade de Alarixe, no Norte de Sinai, no Egito.

O crime ocorreu recentemente e foi divulgado no Brasil pelo ministério Portas Abertas, que acompanha a perseguição religiosa no mundo e presta apoio aos missionários.

O nome do líder morto é Raphael Moussa, que foi atacado depois de ministrar um culto na igreja local. Segundo testemunhas, o grupo extremista chegou declarando a jihad e logo mataram o líder religioso.

A morte de Moussa mostra o cenário comum nos países onde o EI tem avançado, colocando em risco a vida de todos os kaafirs (não muçulmanos) que passam a ser agredidos, tomados como escravos ou mortos pelos terroristas.

Os cristãos do Sinai estão vulneráveis diante deste cenário onde a violência não para de crescer.

A região é hostil aos cristãos, tanto é que os líderes egípcios estão tentando controlar os discursos religiosos nas mesquitas para impedir que sejam estimulados novos ataques à comunidade cristã.

Com essa atitude o governo tenta combater o radicalismo islâmico que é o principal responsável pelos ataques. Mas há pouco resultado nessas ações e a morte do líder mostra que há muito a ser feito para impedir que os cristãos, principalmente as mulheres, continuem se tornando vítimas de ataques.

Segundo o Portas Abertas, a maior reclamação dos cristãos é que os policiais egípcios não colaboram na defesa dos cristãos, tornando a impunidade um motivo a mais para que os extremistas pratiquem crimes.

Aos 9 anos, cristã ganha prêmio na TV e doa dinheiro para missões

Lucy Chelton tem apenas 9 anos. Ela é filha do pastor da Igreja Metodista Unida de Sellersville, na Pensilvânia. Como sempre gostou de cozinhar, decidiu participar do programa ‘Chopped Junior’, do canal de TV a cabo Food Network.

O programa é uma competição de culinária para crianças, ao estilo Master Chef Junior, apresentado no Brasil. O prêmio para o vencedor é 10 mil dólares. A final foi ao ar neste domingo (14). Além do dinheiro, Chelton recebeu um uniforme personalizado com o nome do programa.

Ela surpreendeu a todos quando avisou que dividiria o dinheiro com a missão FISH, uma abreviação de “Fellowship In Serving Humanity” [Comunidade de Serviço à Humanidade]. Além de pregar o evangelho eles fazem um trabalho social, distribuindo alimentos, roupas e material escolar para famílias de baixa na região onde ela mora.

Durante o episódio final, Chelton foi vista incentivando as outras crianças, numa demonstração que não os via como concorrentes. Ela derrotou quatro competidores de sua mesma faixa etária, no desafio final em que precisava preparar uma refeição e uma sobremesa em apenas 30 minutos. Ela recebeu o primeiro prêmio, sendo muito elogiada pelos jurados.

Os pais de Lucy, Eric e Miki, ficaram muito felizes com a decisão da menina de compartilhar o prêmio. Ele é co-pastor na igreja e a mãe é a diretora musical. Ela também tem uma irmã mais velha, Belle, 11 anos.

Na parte das entrevistas, após o final do episódio, ela disse que aprendeu a cozinhar com o pai. Afirmou que gosta de servir as pessoas e por isso seu sonho é abrir um restaurante. Com informações de Gospel Herald

Filme sobre o arrebatamento estreia em setembro

O relato apocalíptico da série de livros Deixados para Trás, de Tim LaHaye e Jerry B. Jenkins, ganhou outra versão cinematográfica. A produção da EchoLight Studios, em parceria com Fathom Events, visa alcançar uma audiência mais jovem, por isso a aposta em uma nova roupagem.

“Vanished – Left Behind: Next Generation” [Desaparecidos – Deixados para Trás: A Nova Geração] estreia nos Estados Unidos em 28 de setembro. Ainda não há previsão para o lançamento no Brasil. Trata-se da terceira tentativa de adaptação dos livros para as telas.

A primeira, protagonizada pelo astro cristão Kirk Cameron, teve 3 partes. Já “O Apocalipse” com Nicolas Cage, chegou às salas brasileiras em 2014. Nenhuma delas obteve um grande sucesso comercial.

Desenvolvido pelo roteirista veterano Dave Alan Johnson, com vários sucessos no currículo, a produção foi supervisionada por Randy, neto de Tim LaHaye, falecido recentemente.

Conforme o que foi divulgado, a aposta desse reboot é usar os moldes de filmes que apresentam sociedades distópicas, como as séries “Jogos vorazes” e “Divergente”, onde é preciso lutar pela sobrevivência e enfrentar inimigos poderosos. No release para a imprensa há uma comparação com “The Walking Dead”, embora não explique a referência.

Não há previsão de estreia nos cinemas brasileiros.

Sinopse


Segundo o material de divulgação postado no IMDB, maior guia de filmes da internet, a história vai ser estrelada pelas irmãs adolescentes Gabby (Amber Frank) e Claire (Keely Wilson), além dos jovens Josh (Mason Dye) e Flynn (Dylan Sprayberry).

Eles testemunham o “desaparecimento” de cerca de um bilhão de pessoa no planeta e precisam descobrir como sobreviver em um mundo agora governado por um único líder, que implanta um sistema totalitário – uma referência ao Anticristo.

Os donos da produtora EchoLight também são pastores de jovens e fundadores do Ministério Download, acreditam que a aposta numa roupagem moderna não compromete a mensagem. Para eles, o filme irá “cativar e entreter o público”, enquanto ensina sobre o final dos tempos em uma perspectiva bíblica.

Nos últimos anos, diferentes seriados de TV apresentaram suas próprias versões do Apocalipse. O mais bem-sucedido deles foi Supernatural, mas the Messengers, Dominion, The Leftovers e You Me and he Apocalypse também deixaram esta geração mais familiarizada com o conceito de fim do mundo. Por isso, uma perspectiva bíblica sobre o assunto é bem-vinda. Com informações de Assist

Assista ao trailer:

 

Evangelismo durante Olimpíadas resulta em 208 conversões

Durante os Jogos Olímpicos da Rio 2016, a missão Lay Witnesses for Christ International (LWCI) realizou um trabalho na Comunidade Cidade de Deus que mescla esportes e evangelização, dentro do projeto ReachOut. A “Dinâmica esportiva: No Caminho certo” é uma estratégia usada pela instituição desde sua fundação, há 38 anos.

Atletas que já foram campeões olímpicos ou tiveram destaque mundial em um determinado esporte, treinadores renomeados e muitos missionários voluntários vão até o local escolhido para demonstrarem suas habilidades e compartilhar sobre Jesus.
Rosa Gutierrez
O evento desta quinta-feira (11), atraiu centenas de crianças e jovens da Cidade de Deus para ver de perto as exibições, aprender mais sobre os esportes olímpicos e ouvir o plano de Salvação.

Estiveram ministrando Randy Shepherd, ex-jogador de basquete norte-americano. Hoje, ele viaja o mundo utilizando os esportes para evangelizar. Outra ex-atleta presente foi Rosa Gutierrez, cinco vezes foi campeã nacional na corrida de longa distância nos Estados Unidos.

Durante o período das Olimpíadas as crianças estão de férias, sem atividades recreativas. Por não terem condições financeiras de assistir aos jogos, o evento levou-as a ter contato com atletas estrangeiros, algo que chamou muita atenção. Durante a tarde, os presentes foram incentivados e praticar esportes, conselhos sobre a prevenção de drogas e álcool, e também o combate à prostituição infantil.

Segundo os organizadores, 208 pessoas que participaram da dinâmica esportiva fizerem a confissão de fé no encerramento do encontro. Segundo Max Índio, missionário brasileiro que participou da coordenação, “eles receberam algo muito mais valioso que medalhas de ouro”.

O pastor Heron Jorge de Souza, que representa o Conselho de Ministros Evangélicos da Cidade de Deus – parceiro na inciativa, comemorou: “Para nós, que vivemos na comunidade, foi um grande impacto para as crianças”.
Randy Shepherd.
Na próxima terça-feira (16), o mesmo tipo de evento será realizado na comunidade da Rocinha. Em 17 de agosto, ocorre na Igreja Batista Atitude Central da Barra, a “Noite com os Atletas Olímpicos”.

Já está confirmada a presença do ex-velocista norte-americano Carl Lewis, um dos maiores medalhistas de todos os tempos – foram 10 ao todo. O objetivo é promover a integração, comunhão e descontração entre os atletas, além de se anunciar o amor de Deus.

Maiores informações sobre a programação completa podem ser encontradas aqui: www.facebook.com/evangelismoriodejaneiro

Pastores presos no Vietnã podem ser envenenados

A missão Christian Aid está denunciando que pelo menos 108 pastores estão presos porque se recusaram a registrar suas igrejas domésticas à única denominação reconhecida pelo governo. Eles não desejam se submeter a interferências políticas e por isso podem ser condenados à morte por envenenamento.

As igrejas controladas pelo governo não podem realizar reuniões em grupos menores fora dos cultos no templo. Também são proibidas aulas de escola dominical – seja para crianças ou adultos – e qualquer reunião além do culto congregacional. Isso restringe a participação deles às atividades no templo.

Porém, o rígido controle estatal não permite a entrega de dízimos e ofertas nem a distribuição de ceia. Existem policiais infiltrados, que controlam os cultos para ver se nada está sendo dito contra o regime comunista.

Ainda que o governo afirma que existe liberdade religiosa, crianças só podem ouvir sobre o evangelho em suas próprias casas. Um líder cristão, conhecido como Su, desabafa: “O governo quer controlar todas as igrejas dessa denominação [única] para limitar o seu crescimento e ter controle total”. Aqueles pastores que se recusam a cumprir as ordens são espancados e podem ser presos.

Somente na província de Lai Gia, 20 igrejas não registradas foram forçadas pelas autoridades a se integrarem a denominação estatal. Com isso, os cerca de 12.000 fiéis que congregavam nelas só podem reunir-se em um local onde cabe 1.600 pessoas.

Em outra parte do país, uma rede de igrejas domésticas com 3.000 membros precisou fundir congregações. Recebeu autorização para fazer os cultos em um local onde não cabia mais do que 500. A Christian Aid esclarece que essa técnica usada pelo governo é para desestimular as pessoas.

O pastor Su, que entre 1975 e 1985 ficou um total de sete anos e dois meses preso por causa de sua fé, lamenta que a perseguição esteja aumentando em seu país. “Cada igreja que se recusou a entregar suas congregações à única denominação registrada recebe primeiramente uma multa de 60 dólares”, explica. Essa quantia equivale a mais de metade do rendimento médio mensal de muitos dos povos tribais das montanhas.

Ele conta também que, na prisão, os pastores podem ser torturados e passam por muitas humilhações. Aqueles que resistem em cumprir todas as ordens podem receber comida com veneno. Explica que isso já aconteceu com alguns, mas o risco é real para todos.

Na última semana, a Christian Aid começou uma petição online, onde pede que o presidente Trân Dại Quang e o primeiro-ministro Nguyen Xuân Phúc libertem imediatamente os pastores presos. Lembra que eles não foram formalmente acusados de nenhum crime nem passaram por um julgamento. A missão pede orações pelos pastores e convida os cristãos de todo mundo a assinar o documento (aqui) no CitizenGo. O alvo é conseguir 50 mil assinaturas.

Pastores desaparecidos

Sessenta e seis pastores tentaram escapar do Vietnã após o aumento recente das perseguições. Eles foram capturados perto da fronteira e estão desaparecidos. Não se sabe ao certo se estão presos como diz o governo. “Seu paradeiro é desconhecido”, lamenta Su.

Nas áreas rurais, a atividade da igreja é controlada de forma mais rigorosa que nas cidades. Mesmo assim, é onde ocorrem mais conversões. A rede de igrejas de Su faz um trabalho de treinamento que no momento integra 7.850 líderes. Todos eles recebem um curso de educação teológica básica. Destes, 2.250 são falantes de línguas tribais e estão plantando igrejas nas áreas onde vivem. Com informações de God Reports