CURTA NOSSA PÁGINA !!!

Faça parte de nossas redes sociais e nosso canal no youtube.

Pergaminho revela um dos primeiros textos do Antigo Testamento

A cópia mais antiga de trechos do Antigo Testamento já encontrada é um frágil pergaminho hebraico que acaba de ser aberto e digitalizado. A revista “Science Advances” publicou nesta quarta (21) que o texto, conhecido como o pergaminho En­Gedi, contém um texto do Levítico datado dos séculos III ou IV, e possivelmente antes.

Trata-se do pergaminho mais antigo do Pentateuco, os cinco primeiros livros da Bíblia, atribuídos a Moisés. Segundo a publicação científica, decifrar seu conteúdo foi “uma importante descoberta da arqueologia bíblica”.

Encontrado em 1970 por arqueólogos numa escavação em En­Gedi, antiga comunidade judia do fim do século 8, o deteriorado pergaminho não podia ser lido. Contudo, o uso de novas tecnologias “nos permitiu desvendar o pergaminho, que fazia parte de uma Bíblia de 1500 anos de idade”, explicou um representante da Autoridade de Antiguidades de Israel.

O estado precário da peça encontrada em uma escavação em 1970 devia-se a ela ter sobrevivido ao incêndio que provavelmente destruiu a sinagoga.

As análises do estilo da caligrafia e os traços das letras mostram que ele pode ter sido escrito na segunda metade do século 1 ou de princípios do século 2 depois de Cristo.

“A estrutura principal de cada fragmento, completamente queimada e esmagada, tinha se transformado em pedaços de carvão que continuavam se desintegrando cada vez eram tocados”, disse o estudo. Os pesquisadores utilizaram como ferramenta um avançado scanner digital para “desenrolá-lo virtualmente e ver seu conteúdo”, explica Michael Segal, diretor da Escola de Filosofia e Religião da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Também ficou comprovado que as passagens decifradas do pergaminho de En­Gedi são idênticas em todos os seus detalhes, tanto as letras como a divisão em seções, ao chamado texto massorético, usado nas traduções até hoje. Isso ajuda a enterrar o mito corrente de que a Bíblia foi alterada ao longo dos séculos.

Agora os pesquisadores pretendem usar as mesmas técnicas para ler outros textos danificados, incluindo parte dos pergaminhos do Mar Morto, que continua sendo indecifrável.

Cristãos são crucificados, queimados e esmagados na Coreia do Norte

Os cristãos na Coreia do Norte enfrentam estupros, torturas, escravidão e são mortos simplesmente por causa da sua fé, comprova um novo e contundente relatório da Christian Solidarity Worldwide (CSW).

A CSW, ONG inglesa que luta pela liberdade publicou este mês o relatório “Total Negação: Violações de Liberdade de Religião ou Crença na Coreia do Norte”, que mostra como não existe liberdade de religião ou crença no país liderado pelo ditador Kim Jong-Un.

“As crenças religiosas são vistas como uma ameaça à fidelidade exigida pelo Líder Supremo, então qualquer pessoa que mantenha a fé acaba sendo severamente perseguida”, afirma o documento. “Os cristãos sofrem de modo significativo por que o partido comunista que lidera o país os rotula como antirrevolucionários e imperialistas.”

Entre os casos documentados de violência contra os cristãos há casos de pessoas “colocadas em uma cruz com uma fogueira embaixo, esmagados por um rolo compressor, jogados de cima de pontes e pisoteados até a morte”.

Outros crimes bárbaros incluem “execuções sem julgamento, extermínio, escravidão/trabalho forçado, transferência forçada de população, prisões arbitrárias, torturas, perseguição, sequestros, estupro e violência sexual, entre outros atos similares”.

Existe uma política de “culpa por associação”, em muitos casos, fazendo com que os parentes dos cristãos também sejam presos, mesmo que não professem a fé cristã, ressalta o relatório.

Embora oficialmente sejam conhecidos apenas 13.000 cristãos na Coreia do Norte, acredita-se que o número real seja muito maior. Existem 121 locais de culto religioso na Coreia do Norte, afirma o Centro de Dados dobre Direitos Humanos da Coreia do Norte, incluindo 64 templos budistas, 52 templos Cheondoista, três igrejas protestantes, uma catedral católica e uma igreja ortodoxa russa.

As cinco igrejas ficam na capital, Pyongyang, no entanto, analistas acreditam que elas servem apenas para tentar mostrar uma boa imagem da Coreia do Norte diante da comunidade internacional, pois não há cultos.

Segundo informações de missões, existem 500 igrejas domésticas na Coreia do Norte, formadas principalmente por pessoas cujas famílias eram cristãos antes de 1950 – início da Guerra da Coreia que dividiu o país. No entanto, eles não poderão estabelecer líderes nem usar materiais religiosos.

O ministério Cornerstone International, que trabalha com os cristãos naquela região, estima que existam entre 200 e 300 mil cristãos norte-coreanos vivendo no país, que não são reconhecidos pelo governo, a verdadeira igreja subterrânea.

Eles são obrigados a praticar sua fé em segredo, pois se forem pegos, serão enviados para campos de trabalhos forçados, bastante conhecidos pela população. Um homem que conseguiu fugir de um deles explicou à CSW que conheceu um prisioneiro que foi enviado para o campo simplesmente porque tinha passado um mês na China estudando a Bíblia.

Templos abertos, mas vazios

Os cristãos não são o único grupo religioso a sofrer sob o regime comunista. Budistas e Cheonistas [crença tradicional coreana] também são tratados como inimigos da revolução, embora a CSW acredite que “o regime pode ter um maior grau de tolerância com as crenças consideradas nativas da Ásia ou da península coreana”. Um dos principais argumentos contra as igrejas é que elas fariam parte de uma tentativa de dominação estrangeira.

Segundo o extenso relatório do CSW, os templos abertos parecem mais com museus que com   prédios de atividades religiosas. “Estas instalações, organizações e instituições permanecem abertas para mostrar a existência de pluralismo religioso e aceitação, mas a realidade é outra”, sublinha o material.

A CSW pede que a comunidade internacional apoie o encaminhamento da Coreia do Norte para o Tribunal Penal Internacional, onde será investigada todas as suas violações de direitos humanos.

Sua petição diz que “Muitos norte-coreanos estão sofrendo por causa de sua fé, e a comunidade internacional precisa agir urgentemente para acabar com a impunidade e garantir a prestação de contas… Todo esforço deve ser feito para buscar a responsabilização e justiça para o povo da Coreia do Norte, que sofre abusos dos direitos humanos em uma escala sem paralelo no mundo moderno”. Com informações de Christian Today

Carmen Silva morre em São Paulo, aos 71 anos

A cantora Carmen Silva, 71, morreu em São Paulo nesta segunda-feira. A artista estava internada no Hospital Presidente desde o dia 14 deste mês e, segundo o relatório médico, sua morte ocorreu por conta de uma parada cardíaca provocada por tromboembolia.

A artista, nos últimos anos, estava afastada do cenário musical. Evangélica, Carmen tornou-se notória no cenário musical brasileiro por suas canções românticas. No segmento evangélico, Silva assinou com a gravadora Graça Music no início da década de 2000 e lançou três álbuns religiosos.

Na carreira evangélica, Carmen se apresentou em eventos relacionados à Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD), de R. R. Soares. Um de seus discos, Minhas Canções na Voz de Carmen Silva, teve composições assinadas pelo televangelista.

Nos álbuns Volume I (2004) e Volume II (2006), Carmen Silva lançou músicas como “Varão de Branco”, “Uma Honra, um Prazer” e “Brilha Jesus” e foi produzida por Carlinhos GerD com arranjos de Felipe Zampieri. Mais tarde, Silva decidiu não renovar com a gravadora e se afastou do cenário musical.

No Twitter, a assessoria de comunicação da gravadora lamentou a morte de Carmen. “Muito querida por todos, sempre tinha um sorriso quando nos via. Voltou para casa”. As informações sobre o sepultamento ainda não foram divulgadas pela família da intérprete.

Colégio no RJ libera o uso de saia para meninos

No Rio de Janeiro um colégio tradicional resolveu mudar suas regras referente ao uso do uniforme, liberando o uso de saia por meninos e de bermudas por meninas.

O informe divulgado no site do Colégio Pedro II diz que a instituição resolveu seguir os parâmetros do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais (CNCD/LGBT).

Na prática, fica estabelecido que não há mais uniformes masculino e feminino, como explicou o reitor Oscar Halac no comunicado oficial.

“Propositalmente, deixa-se à critério da identidade de gênero de cada um a escolha do uniforme que lhe couber. Estamos cumprindo a determinação de uma resolução vigente e procuramos de alguma maneira contribuir para que não haja sofrimento desnecessário entre aqueles que se colocam com uma identidade de gênero diferente daquela que a sociedade determina”.

Deputado critica a posição


Ao se pronunciar no Plenário da Câmara nesta terça-feira, o deputado federal Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ) criticou o posicionamento da instituição de ensino lembrando que outra decisão do colégio foi trocar as letras O e A das palavras aluno e aluna pelo X, seguindo com a as regras da ideologia de gênero.

“Agora, mais absurdo ainda, toma a decisão amplamente noticiada, de que os meninos possam ir para a escola de saia”, disse o parlamentar.

Mostrando sua indignação, o deputado pediu ao Ministro da Educação, Mendonça Filho, para que providências sejam tomadas. “Isso é uma afronta às famílias dos alunos de bem do Colégio Pedro II. Se a moda pega, onde é que nós vamos parar?”, questiona.

O parlamentar aproveitou para lembrar que o Congresso Nacional rejeitou a ideologia de gênero.

“Nós derrotamos essa praga chamada ideologia de gênero na Câmara e no Senado, mas não satisfeitos, aqueles que defendem a causa de destruição da família, querem desqualificar através dos municípios levando essa ideologia falida e vergonhosa que é a ideologia de gênero”, completou.

Assista:

 

Pastor paquistanês refugiado no Brasil conta sua história

A lei de blasfêmia no Paquistão faz a minoria cristã se tornar ainda mais refém da maioria muçulmana. Foi isso que aconteceu com um pastor paquistanês que buscou refúgio no Brasil.

Masih vivia em uma cidade no Estado de Punjab, no sudeste do Paquistão, sendo pastor de uma igreja presbiteriana com aproximadamente 3 mil membros.
Mas certa vez ele foi procurado por um muçulmano que tentou convertê-lo por três vezes. Pela negativa, ele acusou o pastor de ofensa e entrou na justiça querendo receber US$ 70 mil (cerca de R$ 220 mil).

Foram quatro anos de processo até que o juiz conseguiu baixar o valor da multa para um preço que Masih pudesse pagar.

Mas o caso não parou aí. “O meu acusador chamou um bando de fanáticos que me atacaram na minha casa. Me bateram na frente dos meus filhos e da minha esposa. Quando cansaram, disseram que iriam me acusar de blasfêmia”.

A acusação de blasfêmia pode levar uma pessoa à morte, principalmente em Punjab, estado onde a lei é mais severa e a maior prova é o que fazem com Asia Bibi que desde 2010 enfrenta o medo de ser executada a qualquer momento.

O pastor S. Masih, 41 anos, precisou deixar seu país e veio sozinho para o Brasil deixando lá sua esposa e seus filhos.

“Não escolhi o Brasil. Eu não conhecia nada daqui. Tinha pedido visto para a Tailândia, porque era mais perto e mais fácil, mas minha avó morreu na época e o visto venceu. Mas eu precisava sair”, disse ele em entrevista à BBC Brasil que fala português.

Ele chegou ao nosso país em 2013 e foi acolhido pela igreja presbiteriana e hoje atua como pastor na igreja do bairro da Penha, na zona leste de São Paulo.

“Ele teve uma boa aceitação na igreja. Quando escutam a história dele, as pessoas o acolhem bem. Masih acaba conscientizando os fiéis sobre o que acontece com os cristãos em outros lugares do mundo”, disse o Amaury Costa de Oliveira, que há cinco anos acompanha as igrejas perseguidas na Ásia e Oriente Médio e que se interessou pela história de Masih.

Mas agora o pastor tenta juntar dinheiro para visistar sua família no Paquistão e trazer sua esposa e filhos para o Brasil. Ele também precisa ver sua mãe que está doente, seu pai morreu ano passado e a distância deixou o pastor abalado.

“O dia que ele faleceu me machucou muito. Você deixa seu pai, ele te dá um abraço e um beijo de despedida, com a promessa de um reencontro em breve. Mas ele não estará mais lá. A perseguição destrói tudo dentro de você.”

Através da ONG Preparando o Caminho o pastor Amaury está buscando arrecadar o dinheiro para que o pastor possa voltar ao seu país e trazer sua família.

“Deus não comete erros”, diz cantor cristão sobre filha com Síndrome de Down

A estrela da música Country Rory Feek tem compartilhado memórias sobre a sua falecida esposa Joey e também sua filhinha Indiana de 2 anos de idade em seu blog.

Joey faleceu aos 40 anos devido a um câncer de colo de útero. De acordo com o músico, sua filha tem dado forças para que ele siga em frente.

Através de uma reportagem do jornal Daily Mail, Feek deu detalhes sobre sua filha. Indiana nasceu em 2014 com síndrome de down.

“Deus não comete erros. Indiana não é inferior a nenhuma outra criança. Ter síndrome de down não faz a vida dela menos significativa do que a de outra pessoa, ou seus sonhos, ou sentimentos, menos importantes. Nem como uma criança, e acredito que, nem nos próximos anos, quando ela crescer e se tornar adulta”, afirmou Rory.

Rory disse que assistindo sua filha crescer ele renova as forças devido a sua perda.

“Observando-a sentar-se, olhar em volta, e em seguida, rolar para trás… e ouvindo-a falar para si mesma e suas mãos, eu me lembro o quão preciosa ela é”, escreveu ele.

Outro fato relembrado pelo cantor foi o impacto que os parentes próximos tiveram ao saber da síndrome de sua filha.

“Eles não sabiam o que dizer. Eu não achei e não acho nada negativo sobre as repostas deles”.

Rory considera sua filha um presente afirmando que apesar de algumas diferenças entres as crianças que possuem a síndrome, elas acabam aprendendo tudo “no tempo certo”.

“Todas elas são bonitas. Todas elas são um presente do céu’.

Hungria é primeiro país a ajudar oficialmente os cristãos perseguidos

O governo da Hungria anunciou a criação de um departamento para ajudar os cristãos perseguidos. Com um orçamento inicial de € 3 milhões [cerca de R$11 milhões], o objetivo é auxiliar pessoas que precisam lidar, sobretudo, com violência e opressão dos radicais islâmicos.

Em agosto, o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, reuniu-se com o Papa Francisco e diferentes patriarcas do Oriente Médio. Acredita-se que isso tenha sido um fator decisivo para que a atual administração criasse essa subsecretaria dentro do Ministério dos Recursos Humanos. Ele será dirigido por Tamás Török, que até recentemente era vice-embaixador da Hungria na Itália.

“A Hungria há anos trabalha silenciosamente nas zonas de perigo do Oriente Médio… Esta é a continuação de uma política que está em vigor há muito tempo”, disse Eduard von Habsburg, embaixador da Hungria junto à Santa Sé. Ele acrescenta que tanto o premiê Viktor Orbán quanto o ministro de Recursos Humanos, Zoltán Balog são “pessoas de fé”. Sabidamente, ambos pertencem a igrejas evangélicas reformadas.

Habsburg acrescentou que o compromisso da atual administração de fornecer ajuda para os cristãos perseguidos foi reforçada após contatos com líderes influentes da igreja na Europa, como o cardeal Christoph Schönborn, da Áustria e outros patriarcas do Oriente Médio.

Conforme vem sendo amplamente noticiado, as minorias cristãs, especialmente na Síria e no Iraque, estão encolhendo drasticamente por serem os alvos preferenciais do Estado Islâmico.

Por exemplo, eram mais de 1 milhão de cristãos no Iraque antes do início da guerra em 2003. Hoje, acredita-se que não cheguem a 400.000. Como não há estatísticas oficiais, pode ser um número bem menor que esse. Com informações de Christian Daily

Conheça a Bíblia que “sobreviveu” à queda das Torres Gêmeas

O aniversário de 15 anos do ataque ao World Trade Center, em Nova York, foi lembrado por todo o mundo esta semana. O fotógrafo Joel Meyerowitz, que passou nove meses registrando o trabalho nos escombros, gravou um testemunho sobre o que ele considera uma mensagem de fé dentre o que sobrou do maior ataque terrorista no Ocidente.

Ele recebeu de um dos bombeiros que limpava o local uma Bíblia que acabou tendo páginas “soldadas” a um pedaço de aço. Meyerowitz diz não entender como ela não queimou inteiramente e o metal acabou formando uma espécie de moldura das páginas que ainda podem ser lidas.

A passagem que ficou aberta é de Mateus 5, onde se pode ver claramente as palavras dos versículos 38 e 39:  “Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mau; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra”.
biblia-soldada
Ele diz não entender como o calor intenso foi capaz de derreter o aço, mas não queimou o papel fino usado na impressão das Escrituras.

O fotógrafo decidiu fazer um vídeo para contar como isso mexeu profundamente com ele e, quem sabe, pode tocar as pessoas em tempos tão difíceis. “Dentre todas as páginas na Bíblia que poderiam estar abertas, essa é a mais notável”, assevera Meyerowitz. Com informações de Christian Headlines

Assista:


Missionários cristãos são proibidos de entrar na Nicarágua

O governo da Nicarágua fechou suas portas para os missionários cristãos estrangeiros. O presidente Daniel Ortega, seguindo o viés ditatorial de seu governo, conseguiu o controle total do Parlamento, retirando os cargos dos deputados da oposição. Líder do movimento sandinista – de base comunista, ele é candidato único para as eleições em novembro e quer se reeleito pela terceira vez. Ortega está no poder desde 2001. A oposição tem afirmado que as próximas eleições serão uma “farsa”.

Preocupado com as repercussões de seu golpe contra a liberdade e a democracia, impediu a presença de observadores independentes durante o pleito. Alegando que deseja “controlar a influência externa”, decidiu impor também restrições na atividade missionária estrangeira.

Em agosto, o escritório de imigração da Nicarágua proibiu dois missionários católicos de entrarem no país. Os ministros vinham dar aulas em um curso de pós-graduação em Teologia de uma diocese local. Outros 41 padres e leigos que faziam uma peregrinação, vindos da vizinha El Salvador, também foram detidos na fronteira e mandados de volta.

Cerca de 300 pastores e missionários do México e de vários países da América Central tinham programado participar do encontro do Ministérios de Evangelismo para las Naciones. Por causa das novas leis, tiveram de cancelar sua viagem.

O presidente das Assembleias de Deus da Nicarágua, Rafael Arista, protestou contra a intransigência do governo.

“Os pastores estão preocupados com essa restrição para missionários e pastores que vêm para cá trabalhar com muitas pessoas carentes. São equipes médicas e de evangelização, entre outros diferentes tipos de trabalho social que fazemos. Esta medida prejudica o trabalho da Igreja neste país. ”

Arista lembra que cerca de 40% dos nicaraguenses são evangélicos. “Nosso apelo ao presidente Ortega é para revogar esta legislação definitivamente”. Ele vem clamando para que os pastores de todas as denominações do país se manifestem.

Há um temor que novas medidas que restringem a liberdade religiosa sejam impostas no país. No continente americano, até agora apenas Cuba possuía esse tipo de proibição. Com informações de Christian Daily

Protagonista de “Deus Não Está Morto” conclui filme sobre ateu que se converte

O ator Kevin Sorbo, cuja carreira ficou marcada pelo papel de Hércules na televisão, teve um recomeço de carreira em 2014. Após o grande sucesso de “Deus Não Está Morto”, ele se tornou um dos grandes nomes nos filmes cristãos.

Tanto Deus Não Está Morto quanto a sequência Deus Não Está Morto II foram filmados com orçamentos pequenos e deram grandes retornos. O primeiro arrecadou mais de US$ 60 milhões e custou apenas US$ 2 mi. A segunda parte, lançada em 2016, custou US$ 5 mi e rendeu US$ 20 milhões nas bilheterias.

Ambos abordam o conflito entre as pessoas de fé e as instituições ateístas que procuram ridicularizá-los. Sorbo acabou de filmar seu terceiro filme com temática cristã seguido: Let There Be Light [Haja Luz]. Sua esposa, Sam Sorbo, foi a coautora da história que fala sobre um famoso ateu que se converte a Jesus após uma experiência de quase-morte.

Sam acredita que o novo longa é quase um “Deus não está morto 3”, pois é um fruto direto. Afinal, no primeiro filme Sorbo interpreta o Dr. Radisson, professor de filosofia ateu que força seus alunos a assinarem uma declaração dizendo: “Deus está morto”.

A esposa de Kevin explicou que a ideia de escrever sobre isso veio após o sucesso do marido nos dois filmes da franquia “Deus está morto”. “Certo dia eu fiquei pensando: o que aconteceria se o maior ateu do mundo viesse a conhecer a Jesus?”.

Para o casal, conta ela, “Foi uma surpresa entender o tanto de apoio que uma história de fé podia receber”. Também causou impacto em suas vidas o encontro que Kevin teve com uma mulher em um aeroporto. Ela veio até ele e disse: “Esse filme mudou minha vida. Eu era muçulmana, mas agora sou cristã. Recentemente fui batizada com minha filha”.

A roteirista diz que naquele momento entendeu: “Temos de fazer mais esse tipo de filme”. Let There be Light custou 3 milhões de dólares e seu lançamento está previsto para dezembro de 2017. Com informações de AL

Rick Warren: Pornografia é um veneno, só os tolos alimentam-se de lixo

Quando a atriz Pamela Anderson veio a público afirmar que está numa campanha contra a pornografia, muita gente parou para ouvir. Ele posou nua para a revista Playboy 14 vezes e já participou de um filme adulto. Em um artigo de opinião publicado no The Wall Street Journal, aos 49 anos ela surpreendentemente decidiu denunciar os “efeitos nocivos da pornografia”.

Dizendo que fala “com experiência e autoridade”, reconhece que o fácil acesso a conteúdo pornográfico “é um perigo público muito sério e sem precedentes”. Assinando o material em conjunto com o rabino Shumley Boteach, ela defende que o problema está na forma como se educam as crianças atualmente. Por isso pede que algo seja feito “imediatamente” por aqueles que têm esse hábito.

A reação foi imediata e muitos órgãos de mídia comentaram o assunto.

O pastor Rick Warren, conhecido por seus livros, abordou o tema em seu site pessoal. Usou para isso o texto de Provérbios 15:14: “O coração que sabe discernir busca o conhecimento, mas a boca dos tolos alimenta-se de insensatez”.

Usando uma paráfrase, ele afirmou: “Uma pessoa sábia tem fome de conhecimento, enquanto o tolo se alimenta de lixo”. Para o pastor, há uma relação de causa e efeito muito simples.

“Tudo o que você botar para dentro de si irá se manifestar no seu comportamento. Se entra lixo, sai lixo. Se você quer ser sábio, precisa se alimentar todos os dias com a verdade, e não com lixo”, escreveu Warren.

Ao abordar exemplos específicos de coisas nocivas que podem ser assimiladas mentalmente, o líder da igreja Saddleback afirmou que há três tipos de alimento para a mente: o saudável, o fast food e o que te envenena.

“A pornografia é veneno. Ela é ruim para você, te deixa para baixo. Você não deveria ler Cinquenta Tons de qualquer cor! Algumas pessoas tem a mente tão aberta que seus cérebros estão caindo para fora”, continuou.

Pediu uma reflexão aos cristãos que mantém hábitos ruins e argumentam que isso não os “incomoda”. “Esse é o problema! Quando você fica consumindo coisas que são profanas, blasfemas, más, vis e isso parou de te incomodar, então você tem um sério problema. Você se tornou um tolo”.

Elaborando sobre os aspectos nutricionais da fast food, lembrou que ela não é particularmente ruim, mas também não traz benefícios. “É algo que simplesmente não tem o valor nutricional que precisamos”. Usando uma figura de linguagem, disse que a maior parte do que consumimos pela TV é como “fast food”, tem duração curta e serve apenas para ocupar um espaço na nossa mente, sem deixar a sensação de saciedade.

Pediu então que as pessoas analisem o que têm consumido no dia a dia. “A comida saudável te ajuda a crescer e manter-se em forma. É como a verdade, e o sábio se alimenta de verdade. Em todas as áreas de sua vida você precisa dessa verdade.”

Finalizou dizendo que o alimento mais saudável que existe para a mente humana é a Palavra de Deus. “Quanto mais você desenvolver o hábito de gastar tempo todos os dias lendo e estudando a Bíblia, mais sábio você vai se tornar.”

Cristãos não estão imunes

O texto de Rick Warren foi reproduzido por vários sites cristãos em língua inglesa. A preocupação dele com o assunto não é nova. Um estudo realizado e divulgado pelo seu ministério, descobriu que 30% dos pastores entrevistados tinham problema com pornografia.

Este ano, uma pesquisa abrangente divulgada pelo Grupo Barna, voltado para o público cristão, mostrou que 68% dos homens que frequentam igrejas acessam alguma forma de pornografia regularmente.

O estudo foi encomendado pelo conhecido apologeta e pastor Josh McDowell. Segundo o material, entre os jovens de 18 a 24 anos de idade, 76% dos cristãos procuram ativamente por pornografia, sobretudo na internet. Além disso, 49% afirmam saber que todos, ou a maioria de seus amigos, fazem o mesmo.

Um dado que chamou atenção é o fato de que 33% das mulheres entre 13 e 24 anos acessam conteúdo pornográfico regularmente.

Parece que as igrejas ainda não estão preparadas para lidar com esta questão. Apenas 9% dos membros de igreja e 7% dos pastores afirmam possuir algum tipo de programa em sua igreja para auxiliar pessoas que lutam contra o vício em pornografia.


“Não gravo aquilo que o mercado pede”, diz Danielle Cristina

A cantora Danielle Cristina lançou este ano o álbum Um Novo Tempo. Acerca do disco, os bastidores e participações da gravação, a intérprete forneceu uma entrevista à Revista Fiel. “Este novo CD veio como surpresa para mim. Fui convidada para uma reunião na gravadora no final de maio, e me pediram para gravar o novo CD para lançar no final de julho, começo de agosto deste ano”, disse Danielle sobre o pontapé inicial para a produção.

“Quando preparo um CD, coloco aquilo que tenho vivido, que tem edificado a minha fé e me levado a romper todos os dias. Gosto de compartilhar as experiências que tenho vivido. É claro que as abordagens das canções falam sobre um novo tempo, sobre fé, coragem, força em Deus para romper, também falam sobre a infinita misericórdia e a graça de Deus”, afirmou Danielle Cristina sobre a abordagem lírica da obra.

Em seguida, a artista passou a selecionar o repertório. A música de trabalho escolhida foi a canção “Promessas”, que também recebeu versão em videoclipe, dirigida por Felipe Arcanjo. “Promessas é uma composição de Luciana Leal, minha amiga com quem vivi muitos momentos bons nos Estados Unidos. Essa canção, quando chegou para mim, me fez lembrar que as promessas de Deus não são para ficarem registradas em cadernos ou agendas, e sim para serem vividas”, disse Cristina.

Acerca dos desafios de gravar e padrões do mercado, a intérprete foi enfática. “Eu nunca acho nada fácil, porque não gravo aquilo que o mercado pede, mas o que Deus me direciona a gravar. Eu me preocupo em ser uma voz profética para aqueles que precisam. Eu fiquei surpresa em poder voltar a gravar aqui no Rio de Janeiro e gravar com amigos”, afirmou Cristina.

Um Novo Tempo é o novo trabalho em dezoito anos de carreira de Danielle Cristina. A produção musical é assinada por Tadeu Chuff, conta com as participações de Raquel Mello e Jairo Bonfim e distribuição da gravadora Central Gospel Music. Além disso, o repertório garante a versão de “In Jesus Name”, conhecida na voz da cantora Darlene Zschech, ex-vocalista do Hillsong.

Brasileira que disse não ao aborto brilha na esgrima paralímpica

A primeira medalha feminina do Brasil na Paralimpíada do Rio pode ser conquistada por Mônica Santos que tem brilhado na esgrima.

Mônica se tornou paraplégica ao optar por seguir com uma gravidez, mesmo sabendo que essa decisão lhe custaria os movimentos das pernas.

Logo que engravidou, quando tinha 18 anos, Mônica passou a sentir muita fraqueza nas pernas e então foi diagnosticada com angioma medular.

Os médicos a aconselharam a interromper a gravidez e assim evitar que a lesão pressionasse ainda mais a medula, mas ela recusou fazer o aborto.

“Me tornei cadeirante em 2002 por opção. Eu estava com dois meses de gestação quando tive um angioma medular e optei por ter a neném e ficar paraplégica. Não foi uma questão religiosa. Foi uma questão humana”, disse ela ao Globo Esporte.

A criança nasceu e posteriormente Mônica precisou fazer a cirurgia para tirar o angioma, perdendo os movimentos das pernas.

“No momento eu nem pensava em ser contra aborto ou a favor. O fato é que eu queria ter um bebê, ali era uma vida, e eu não queria tirar aquela vida. Acho que era um ser humano desde o momento que estava ali batendo o coraçãozinho”, completou.

Após ficar paraplégica, Mônica tentou uma série de esportes adaptados até se encontrar na esgrima. Hoje, 13 anos depois Paolla, estará na torcida pela mãe que pode conquistar a medalha de ouro.

A esgrima em cadeira de rodas terá competição de 12 a 16 de setembro, sempre na Arena Carioca 3.

Aborto aumenta o risco de mulheres terem problemas mentais, comprova estudo

Provocar um aborto no final da adolescência e início da vida adulta aumenta o risco de uma mulher sofrer com problemas de saúde mental, aponta um novo estudo. Conduzido pelo professor de sociologia Donald Paul Sullins, com patrocínio da Universidade Católica da América, a pesquisa ouviu 8.005 mulheres, com idade entre 15 e 28 anos.

A conclusão é que a prática do aborto poder estar ligada a quase 10% dos casos de mulheres com problemas mentais.

“As evidências dos Estados Unidos confirmam descobertas anteriores da Noruega e Nova Zelândia. Todos indicam que, ao contrário de outros resultados da gravidez, o aborto é consistentemente associado com um aumento moderado do risco de distúrbios de saúde mental durante a adolescência e início da idade adulta”, sublinha Sullins. Na prática, se traduz em um aumento de 45% das chances de isso acontecer.

A investigação da equipe de Sullins descobriu ainda que o aborto involuntário também tinha ligações com o problema, aumentando em 24% o risco de desenvolvimento de uma doença mental. O parto, por outro lado, estava “claramente associado” com o a redução das chances de um distúrbio mental.

O grupo cristão Estudantes Pró Vida da America, comemorou a publicação de Sullins, afirmando que é necessário que isso seja debatido nas faculdades de medicina, onde os professores argumentam que o aborto não tem consequências a longo prazo. Estes são ensinamentos “enganosos”, acrescentou o grupo. Com informações Christian Today